Artigo da seção pessoas Denise Fraga

Denise Fraga

Artigo da seção pessoas
Teatro  
Data de nascimento deDenise Fraga: 15-10-1964 Local de nascimento: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)
Imagem representativa do artigo

Registro fotográfico Marcus Leoni

Denise Rodrigues Fraga (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1964). Atriz, figurinista, produtora e comediante. Busca em seus trabalhos aproximar o público das histórias que conta, retratando dilemas sociais e humanos por meio do humor e da crítica social.

Nascida no bairro Lins de Vasconcelos, subúrbio carioca, estuda teatro na Escola Técnica Estadual de Teatro Martins Pena. Por indicação de um de seus professores, Renato Icarahy, estreia nos palcos com o grupo Tapa, dirigida por Eduardo Tolentino de Araújo (1954). O grupo se dedica a uma pesquisa cênica em “teatro de dramaturgia”, baseando-se em montagens inspiradas em textos nacionais, como os dos autores Nelson Rodrigues (1912-1980) e Plínio Marcos (1935-1999) e de clássicos como William Shakespeare (1564-1616) e Anton Tchekhov (1860-1904).

Em 1985, após sair do grupo Tapa, Denise Fraga cria com o ator Moacir Chaves (1965) seu próprio grupo, Cite Teatro, com o qual encena peças do repertório clássico do teatro brasileiro, dando ênfase à produção do dramaturgo Martins Penna (1815-1848). Para Denise, o trabalho em grupo, a dedicação e a persistência marcam esse período de iniciação. A experiência em produção que o grupo proporciona se manifesta em trabalhos futuros da atriz como o longa-metragem O Contador de Histórias (2009), dirigido por Luiz Villaça e produzido por Denise.

É convidada, em 1989, pelo diretor Atílio Riccó (1920) para compor o elenco da peça Trair e Coçar É só Começar, escrita por Marcos Caruso (1952). Com ela, fica em cartaz por aproximadamente cinco anos, interpretando Olímpia, uma empregada doméstica tão bem intencionada quanto atrapalhada. Considerada pelo crítico Nelson de Sá como “a maior comediante que apareceu no teatro brasileiro”1 àquela época, Denise constrói a personagem com base no pícaro Arlequim da commedia dell’arte. Olímpia rende à atriz o prêmio Revelação do Teatro Nacional daquele ano, concedido pela Associação dos Produtores de Espetáculos Teatrais do Estado de São Paulo.

Na televisão, Denise estreia em 1987, na novela Bambolê (Rede Globo), mas a grande visibilidade vem em 1990, com a personagem Ritinha, em Barriga de Aluguel (1990), na mesma emissora. Minisséries também fazem parte da trajetória de Denise na televisão. Alguns exemplos são O Auto da Compadecida (1999), Queridos Amigos (2008) e A Mulher do Prefeito (2013), na qual interpreta uma vice-prefeita e primeira-dama de uma cidade do interior de São Paulo, que precisa assumir o cargo após seu marido ser preso por corrupção.

Denise contribui de forma consistente para a produção cultural, à medida que pesquisa e propõe novos olhares dramatúrgicos, inclusive por meio de projetos de inovação da linguagem narrativa, que aproximam dramaturgia e personagens do cotidiano. Em “Retrato Falado”, por exemplo, que estreia em 2000, no programa Fantástico (Rede Globo), ela encena histórias verdadeiras, enviadas pelos telespectadores por carta ou e-mail. Esse trabalho revela a versatilidade da atriz para interpretar perfis variados de pessoas, em situações cômicas, trágicas e inusitadas. O quadro, dirigido por Luís Villaça, torna-se um sucesso na televisão brasileira, com uma temporada até 2001 e outra de 2003 a 2007, além de ser transformado em livro, escrito pela atriz. O formato inspira outros trabalhos de Denise na TV, em parceria com Villaça. É o caso do quadro “Fazendo História”, de 2004, no mesmo programa, com narrativa desenvolvida a partir de entrevistas com o público feitas nas ruas.

A opção por projetos que unam crítica social e política, associada ao humor e à descontração, também influencia as escolhas de Denise para o teatro, contribuindo para um debate mais aberto para o público. "O humor é um poderoso ingrediente para reflexão. Através dele você diz coisas que conduzem o pensamento das pessoas à crítica. Ele passa pela inteligência, você não ri daquilo que não entende”, diz a atriz, para quem “o teatro ainda é um fórum de ideias, um lugar onde acontece um ritual, uma missa, e que você sai dali transformado”. “Eu não quero transformar quem já está transformado, eu quero fisgar quem ainda não está.”2

A partir de 2015, após o sucesso na TV, Denise Fraga investe em produções de espetáculos épicos, que unem humor a crítica social e política. Em 2017, ela interpreta Galileu Galilei, texto de Bertolt Brecht (1898-1956), sob direção de Cibele Forjaz, e em 2018 estreia A Visita da Velha Senhora, de Friedrich Dürrenmatt (1921-1990), com direção de Luiz Villaça. “Autores de língua alemã que partiram do cabaré do início do século 20, da comédia com interação com a plateia, para abordar temas sociais e políticos”, comenta o crítico Nelson de Sá. Para ele, esses trabalhos marcam uma fase da carreira de Denise Fraga de resgate “dos melhores textos da comediografia brasileira e mundial” – marca, segundo o crítico, que a atriz carrega “desde os primeiros passos no grupo Tapa”, em referência ao compromisso com montagens cujas bases são, a princípio, o texto dramatúrgico.

Denise Fraga transita entre a televisão e o teatro em trabalhos que buscam atingir o público por meio da identificação com as narrativas encenadas. Além disso, faz do humor uma importante ferramenta de reflexão social e de aproximação entre espectador e teatro.

Notas

1. SÁ, Nelson de. Olha que coisa mais cheia de graça. Folha de S.Paulo, São Paulo, 24 jan. 1993. Revista da Folha. Acesso em: 10 fev. 2019

2. Denise Fraga revisita ‘velha senhora’. Teatrojornal. São Paulo, 19 de abr. 2018. Disponível em: Acesso em 11 fev. 2019

Outras informações de Denise Fraga:

  • Outros nomes
    • Denise Rodrigues Fraga
  • Habilidades
    • Atriz

Midias (1)

Denise Fraga – Série Cada Voz (2019)
Nesse vídeo, Denise Fraga fala sobre a escolha de ser atriz, suas dificuldades e desafios, e o riso como forma de identificação com o público. O teatro, mecanismo de conexão entre o público e a palavra, é explicado por meio das reflexões do dramaturgo alemão Bertolt Brecht e da perspectiva de desenvolver a “humanidade” dentro de cada um.

A Enciclopédia Itaú Cultural produz a série Cada Voz, em que personalidades da arte e cultura brasileiras são entrevistadas pelo fotógrafo Marcus Leoni. A série incorpora aspectos de suas trajetórias profissionais e pessoais, trazendo ao público um olhar próximo e sensível dos artistas.

Créditos
Presidente: Milú Villela
Diretor-superintendente: Eduardo Saron
Superintendente administrativo: Sérgio Miyazaki
Núcleo de Enciclopédia
Gerente: Tânia Rodrigues
Coordenação: Glaucy Tudda
Produção de conteúdo: Camila Nader
Núcleo de Audiovisual e Literatura
Gerente: Claudiney Ferreira
Coordenação: Kety Nassar
Produção audiovisual: Letícia Santos
Edição de conteúdo acessível: Richner Allan
Direção, edição e fotografia: Marcus Leoni
Assistência e montagem: Renata Willig

Espetáculos (6)

Exposições (1)

Artigo sobre 748.600

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de início748.600: 17-11-2011  |  Data de término | 18-12-2011
Resumo do artigo 748.600:

Santander Cultural (Recife, PE)

Fontes de pesquisa (11)

  • DE SÁ, Nelson. Olha que coisa mais cheia de graça. Folha de S.Paulo, São Paulo, 24 jan. 1993. Revista da Folha. 10 fev. 2019.
  • DE SÁ, Nelson. ‘Velha Senhora’ faz rir, mas desbota crítica de Dürrenmatt Trump agora promete acabar com política que separa famílias de refugiados. Folha de S.Paulo, São Paulo, 08 de set. de 2017. Disponível em: < https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2017/09/1916706-velha-senhora-faz-rir-mas-desbota-critica-de-durrenmatt.shtml >. Acesso em: 10 fev. 2019
  • FRAGA, Denise Rodrigues. Entrevista concedida pela atriz ao programa Persona em Foco, TV Cultura, São Paulo, jul. 2017. Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=BM0rJ1fzNfw >. Acesso em: 11 abr. 2019.
  • FRAGA, Denise Rodrigues. Entrevista concedida pela atriz ao programa Roda Viva, TV Cultura, São Paulo, jan. 2016. Disponível em:  < https://www.youtube.com/watch?v=Ujiguvs7p8Y >. Acesso em: 10 abr. 2019
  • PATSCH, Sofia. ‘Gosto de humor porque ele conduz o pensamento das pessoas à crítica'. O Globo, Rio de Janeiro, 17 de out. de 2016.
  • PATSCH, Sofia. ‘Gosto de humor porque ele conduz o pensamento das pessoas à crítica'. O Globo, Rio de Janeiro, 17 out. 2016.
  • Planilha enviada pelo pesquisador Edélcio Mostaço
  • Programa do Espetáculo - A Alma Boa de Set Suan - 2008.
  • Programa do Espetáculo - Amigas, Pero no Mucho - 2007.
  • TEATROJORNAL. Denise Fraga revisita ‘velha senhora’. Teatrojornal, São Paulo, 19 de abr. 2018. Disponível em: < https://teatrojornal.com.br/2018/04/denise-fraga-revisita-velha-senhora/ >. Acesso em: 11 fev. 2019
  • TEATROTUCA. São Paulo.Disponível em: < http://www.teatrotuca.com.br/programacao.html>. Acesso em : 27 de maio de 2011

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • DENISE Fraga. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa16225/denise-fraga>. Acesso em: 21 de Jul. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7
abrir pesquisa
;