Artigo da seção pessoas Helvécio Ratton

Helvécio Ratton

Artigo da seção pessoas
Cinema  
Data de nascimento deHelvécio Ratton: 14-05-1949 Local de nascimento: (Brasil / Minas Gerais / Divinópolis)

Biografia
Helvécio Ratton (Divinópolis, Minas Gerais, 1949). Diretor, produtor e roteirista. Até os 7 anos vive no interior de Minas, quando se muda para Belo Horizonte. A partir de 1966, torna-se militante na oposição à ditadura militar (1964-1985). Ingressa na luta armada em 1968. Em 1970, parte para o exílio no Chile, onde trabalha com exibição itinerante e produção de filmes. Em 1974, retorna ao Brasil e é preso no Rio de Janeiro. Permanece quarenta dias na prisão do Destacamento de Operações Internas - Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-CODI)[1]. Retorna a Belo Horizonte e, em 1975, ingressa no curso de psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais e se forma em 1978.

No mesmo ano, dirige o curta Criação (1977). Inicia sua parceria com o produtor Tarcísio Vidigal (1950) para realizar curtas, com destaque para o premiado Em Nome da Razão (1979), sobre o hospício de Barbacena. Dirige o premiado longa infantil A Dança dos Bonecos em 1986. O segundo longa é Menino Maluquinho, o Filme (1995), baseado na obra de Ziraldo (1932), que obtém sucesso de público e crítica. Nos anos seguintes realiza: Amor & Cia. (1998); baseado na obra Alves & Cia. (1995) de Eça de Queirós (1845-1900), Uma Onda no Ar (2002) sobre a história de uma rádio clandestina de Belo Horizonte; Batismo de Sangue (2006), baseado no livro homônimo de Frei Beto (1944), publicado em 1983; o longa infantil, Pequenas Histórias (2008); o documentário O Mineiro e o Queijo (2011) e o infanto-juvenil O Segredo dos Diamantes (2014).

Comentário Crítico
Nos filmes de Helvécio Ratton há referências à militância, à infância no interior de Minas Gerais, e à cultura mineira. Opta por um cinema narrativo de maior comunicação com o público. Suas lembranças de  infância são encontradas, entre outros, em O Menino Maluquinho, o Filme, que narra a experiência do protagonista, e a relação da criança com o tempo de brincadeiras vivido na Belo Horizonte dos anos 1960. A experiência de Ratton no cinema infanto juvenil, presente também no longa A Dança dos Bonecos, faz do diretor o responsável pelas mais elogiadas obras do gênero nos anos 1980 e 1990[2].

continuar a leitura do texto Continuar a leitura do texto...

Outras informações de Helvécio Ratton:

  • Outros nomes
    • Helvécio Luis de Amorim Ratton
  • Habilidades
    • Cineasta

Obras de Helvécio Ratton: (2) obras disponíveis:

Exposições (1)

Eventos relacionados (11)

Fontes de pesquisa (3)

  • NAGIB, Lúcia. O Cinema da Retomada: depoimentos de 90 cineastas dos anos 90. São Paulo: Editora 34, 2002.
  • VILLAÇA, Pablo. Helvécio Ratton: o cinema além das montanhas. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo : Cultura – Fundação Padre Anchieta, 2005.
  • MIRANDA, Luiz F. A. Dicionário de cineastas. São Paulo: Art Editora, 1990.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • HELVÉCIO Ratton. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa16008/helvecio-ratton>. Acesso em: 19 de Nov. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7