Artigo da seção pessoas Renata Sorrah

Renata Sorrah

Artigo da seção pessoas
Teatro  
Data de nascimento deRenata Sorrah: 21-02-1947 Local de nascimento: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)

Biografia

Renata Leonardo Pereira Sochaczewski (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1947). Atriz e produtora. Intérprete dramática, Renata Sorrah trabalha com muitos diretores representativos da cena nacional, tais como Amir Haddad; João das Neves; e Celso Nunes. A partir dos anos 1980, investe no trabalho com encenadores jovens, tais como Ulysses Cruz, Gabriel Villela e Felipe Hirsch.

Ao voltar para o Brasil de seus estudos em Los Angeles, Renata começa a cursar psicologia em 1967, e, na mesma época, ingressa no Teatro Universitário Católico, TUCA, dirigido por Amir Haddad. Faz assistência de direção de Gianni Ratto, em Dura Lex Sed Lex, no Cabelo Só Gumex, de Oduvaldo Vianna Filho, em 1968. No mesmo ano, atua em O Capeta em Caruaru, de Aldomar Conrado, sendo dirigida por Amir; e está em Trágico Acidente que Destronou Tereza, texto e direção de José Wilker. Em 1969, integra o elenco de Antígone, de Sófocles, encenação de João das Neves para o Grupo Opinião. Faz Mariana, personagem de Os Convalescentes, de José Vicente, em 1970. Dois anos depois, volta às mãos de Amir em Tango, de Mrozeck, pela companhia de Tereza Raquel, em 1972, e, no ano seguinte, em Festa de Aniversário, de Harold Pinter. Ainda em 1973, é Nina em A Gaivota, de Anton Tchekhov, com o famoso encenador Jorge Lavelli. Atua ao lado de Glória Menezes e Yoná Magalhães, no bem-sucedido texto de Alcione Araújo, Há Vagas para Moças de Fino Trato, em 1974. Participa da montagem de É... , de Millôr Fernandes, com Fernanda Montenegro no papel principal, e direção de Paulo José, 1977. No mesmo ano, é Eva, em Afinal...Uma Mulher de Negócios, de Fassbinder, personagem que mata toda a família, numa encenação de Walter Scholiers, em parceria com Sergio Britto; em 1978, numa produção do Teatro dos Quatro, é novamente dirigida por Britto, agora num Máximo Gorki, Os Veranistas, arrebatando dois prêmios Moliére consecutivos de melhor atriz. Volta a contracenar com Fernanda Montenegro, em 1982, em As Lágrimas Amargas de Petra von Kant, sob a direção de Celso Nunes. Com o mesmo diretor, em 1985, produz e protagoniza Grande e Pequeno, de Botho Strauss, levando Prêmio Mambembe de melhor atriz.

Em Encontrar-se, de Pirandello, se submete a encenação de Ulysses Cruz, em 1989. É Shirley Valentine, de Willy Russel, em 1991. Com o encenador Gabriel Villela, vivencia o embate entre as irmãs Elizabeth I, da Inglaterra, e Mary Stuart, da Escócia, ao lado de Xuxa Lopes, em Mary Stuart, de Schiller, 1996. Novamente com Amir Haddad, atua em outro clássico, agora de William Shakespeare, Noite de Reis, em 1998. No mesmo ano, é a romântica Olga, de As Três Irmãs, de Anton Tcheckov, na direção de Bia Lessa, com uma vertiginosa cenografia de Gringo Cardia. Com o diretor Hector Babenco, está em Mais Perto, de Patrick Marber, em 2000. No ano seguinte, é a vez de Felipe Hirsch dirigi-la em Jantar entre Amigos - Pequenos Terremotos, de Donald Margulies.

Renata Sorrah é conhecida do grande público por seus trabalhos nas novelas da TV Globo, além de também atuar, não tão assiduamente, no cinema nacional.

Outras informações de Renata Sorrah:

  • Outros nomes
    • Renata Leonardo Pereira Sochaczewski
    • Renata Sochaczewski
  • Habilidades
    • Produtor
    • Ator
  • Relações de Renata Sorrah com outros artigos da enciclopédia:

Obras de Renata Sorrah: (1) obras disponíveis:

Espetáculos (30)

Todos os espetáculos

Fontes de pesquisa (11)

  • ALBUQUERQUE, Johana. Renata Sorrah (ficha curricular) In: ENCICLOPÉDIA do Teatro Brasileiro Contemporâneo. Material elaborado em projeto de pesquisa para a Fundação VITAE. São Paulo, 2000
  • AS LÁGRIMAS AMARGAS DE PETRA VON KANT. Direção Celso Nunes. Rio de Janeiro, 1982. 1 folder. Programa do espetáculo, apresentado no Teatro dos Quatro em agosto de 1982.
  • AS LÁGRIMAS Amargas de Petra von Kant. Rio de Janeiro: Funarte / Cedoc. Dossiê Espetáculos Teatro Adulto.
  • BRITTO, Sérgio. Fábrica de ilusão: 50 anos de teatro. Rio de Janeiro: Funarte, 1996. 260 p.
  • CARVALHO, Tania. Ney Latorraca: uma celebração. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2004. 135 p. (Aplauso Especial). 792.092 L358c
  • EICHBAUER, Hélio. [Currículo]. Enviado pelo artista em 24 de abril de 2011. Espetáculos: Antígona - 1969; Grande e Pequeno - 1985; Noite de Reis - 1997; Um Dia no Verão - 2007. Não catalogado
  • LUIZ, Macksen. Um monstro cada vez mais sagrado. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 4 ago. 1982. Caderno B, p. 3.
  • MAGALDI, Sábato. Lágrimas amargas: encontro privilegiado com Fernanda. Jornal da Tarde, São Paulo, 13 abr 1984.
  • Programa do Espetáculo - As Lágrimas Amargas de Petra von Kant - 1983 Não catalogado
  • Programa do Espetáculo: Jantar Entre Amigos Pequenos Terremotos - 2001 Não catalogado
  • SORRAH, Renata (currículum vitae). Cronologia das atividades realizadas ao longo da carreira profissional .Rio de Janeiro, 2001.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • RENATA Sorrah. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa13930/renata-sorrah>. Acesso em: 24 de Abr. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7