Artigo da seção pessoas Ana Miranda

Ana Miranda

Artigo da seção pessoas
Literatura  
Data de nascimento deAna Miranda: 19-08-1951 Local de nascimento: (Brasil / Ceará / Fortaleza)

Biografia

Ana Maria de Nóbrega Miranda (Fortaleza, Ceará, 1951). Romancista, poeta e atriz. Vive dois anos no Rio de Janeiro e, aos 5 anos, migra com a família para Brasília. De 1969 a 1999, retorna à capital carioca. Estuda pintura com artistas plásticos, como Roberto Magalhães (1940) e Rubens Gerchman (1942-2008), e inicia a carreira de escritora. Entre 1971 e 1979, atua em vários filmes do cinema novo brasileiro.

Seu primeiro romance, Boca do Inferno (1989), recebe o Prêmio Jabuti de revelação em 1990 e é considerado um dos 100 romances mais influentes da língua portuguesa no século XX pelo jornal O Globo. Ana é reconhecida por seus romances históricos, que associam ficção com pesquisa documental minuciosa. Produz também poesia, novela, roteiros cinematográficos, ensaios, textos críticos, edição e pesquisa de originais, tendo preparado para publicação obras de Vinicius de Moraes (1913-1980) e Otto Lara Resende (1922-1992).

De 1977 a 1983, torna-se editora-chefe do Instituto de Artes da Fundação Nacional de Artes (Funarte). Colabora para importantes publicações nacionais, como a revista Caros Amigos e no jornal Correio Braziliense. É escritora visitante em universidades estrangeiras, como Stanford, Yale e Berkeley, nos Estados Unidos, e Tor Vergata, na Itália. Em 2015,  recebe o título de doutora honoris causa da Universidade Federal do Ceará (UFC). Em 2003, seu livro Desmundo (1996) é adaptado para o cinema, com roteiro e direção de Alain Fresnot (1951).

Análise

Ana Miranda tem extensa obra autoral, com destaque para os romances históricos. O primeiro deles – e talvez o de maior alcance – é Boca do Inferno. A obra projeta a autora no cenário literário internacional, recebendo várias traduções e críticas favoráveis. Trata-se de um romance de redimensionamento histórico, que se passa em Salvador, na Bahia do século XVII. Os personagens principais são o poeta barroco Gregório de Matos (1636-1696), conhecido como o Boca do Inferno, e o jesuíta sermonista Padre Antônio Vieira (1608-1697). A obra recorre às estratégias do gênero, como a fusão entre acontecimentos documentais e inventados e a intertextualidade. Desse modo, a autora expõe os desmandos e os costumes questionáveis da organização política colonial na Bahia.

O romance histórico também é desenvolvido em outras obras. O Retrato do Rei (1991) trata da Guerra dos Emboabas, durante o ciclo do ouro em Minas Gerais. A Última Quimera traz o poeta Augusto dos Anjos (1884-1914) como protagonista e apresenta, como pano de fundo, o início do século XX no Rio de Janeiro. Desmundo, por sua vez, baseia-se nas órfãs que vêm de Portugal, em 1555, para se casarem com os colonos brasileiros. Dias & Dias (2002) aborda a vida íntima do poeta Gonçalves Dias (1823-1864), com base em sua correspondência.

Outras informações de Ana Miranda:

  • Outros nomes
    • Ana Maria Nóbrega Miranda
  • Habilidades
    • Poeta
    • Romancista
    • escritora
  • Relações de Ana Miranda com outros artigos da enciclopédia:

Eventos relacionados (2)

Fontes de pesquisa (2)

  • COELHO, Nelly Novaes. Dicionário crítico de escritoras brasileiras. São Paulo: Escrituras Editora, 2002.

     
    p. 59- 60
  • MIRANDA, Ana. Boca do Inferno. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • ANA Miranda. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa1322/ana-miranda>. Acesso em: 20 de Jan. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7