Artigo da seção pessoas Elyseu Visconti Cavalleiro

Elyseu Visconti Cavalleiro

Artigo da seção pessoas
 
Data de nascimento deElyseu Visconti Cavalleiro: 27-01-1939 Local de nascimento: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)

Biografia
Elyseu Visconti Cavalleiro (Rio de Janeiro, RJ, 1939 - Idem 2012). Cineasta e artista plástico. Estuda na Escola Nacional de Belas Artes (Enba), sendo aluno de gravura de Oswaldo Goeldi (1895-1961). Aos 20 anos de idade trabalha como repórter para a Herbert Richers S.A., ingressando depois na TV Rio, sob direção de Walter Clark (1936-1997). Beneficiado com uma bolsa de estudos em cinema e televisão, permanece três anos vivendo em Paris. Depois de rápida passagem pela Itália faz estágios na Polônia e Tchecoslováquia.

De volta ao país no final da década de 1960, se aproxima do grupo carioca do cinema marginal, especialmente de Júlio Bressane (1946). Participa da fundação da produtora Belair e realiza Os Monstros de Babaloo (1970), seu primeiro longa-metragem. Tendo em vista o contexto repressivo da época e a proibição pela censura1 de seu segundo longa-metragem Lobisomem, Terror da Meia-Noite (1971), se afasta de vez do circuito comercial. Inicia a carreira de documentarista etnográfico, muito influenciado pela leitura do sociólogo Gilberto Freyre (1900-1987). Desta lavra destacam-se obras como Ticumbi (1978) e Feira da Campina Grande (1979), além das parcerias com o folclorista Câmara Cascudo (1898-1986) em curtas como Boi Calemba (1979) e Pastoril (1982). Paralelamente ao cinema, mantém um trabalho como artista plástico, dedicando-se principalmente aos desenhos e às gravuras, com exposições no Brasil e no exterior.

Comentário crítico
Em sua filmografia, Visconti destaca-se sobretudo como diretor de Os Monstros de Babaloo (1970) já que, logo em sua estreia no cinema, realiza um filme limite. O cineasta parece aprofundar a ironia típica do cinema marginal a partir de um diálogo aberto com as chanchadas e os filmes de terror, promovendo de modo radical, segundo as palavras do crítico Ismail Xavier (1947), a "implosão da família e a encenação da decadência de uma elite associada à barbárie"2, expondo toda a agonia existencial daquela geração que viveu o auge da repressão militar. Isso lhe renderia sérios problemas com a censura e com a polícia.

continuar a leitura do texto Continuar a leitura do texto...

Outras informações de Elyseu Visconti Cavalleiro:

Fontes de pesquisa (4)

  • BELAIR. Direção: Noa Bressane e Bruno Safadi. Brasil, 2009, documentário, 80 min.
  • MASINI, Fernando. Filmes de guerrilha (entrevista de Elyseu Visconti). Revista Trópico, 13 jul. 2009.
  • OS MONSTROS DE BABALOO. Coleção Cinema Marginal - vol. 3. São Paulo, Lume Filmes, Cinemateca Brasileira, 2009, encarte de DVD.
  • PUPPO, Eugênio e HADDAD, Vera. Cinema Marginal e suas fronteiras. Filmes produzidos nas décadas de 60 e 70. São Paulo: Heco Produções, 2001.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • ELYSEU Visconti Cavalleiro. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa13136/elyseu-visconti-cavalleiro>. Acesso em: 28 de Mai. 2018. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7