Artigo da seção pessoas Tom Zé

Tom Zé

Artigo da seção pessoas
Música / teatro  
Data de nascimento deTom Zé: 11-10-1936 Local de nascimento: (Brasil / Bahia / Irará)

Biografia

Antônio José Santana Martins (Irará BA 1936). Compositor, cantor, arranjador e instrumentista. Vai para Salvador, em 1949, para cursar o ginasial e, influenciado pela cultura popular nordestina, desenvolve o interesse pela música iniciando a prática do violão, do canto e da composição. Em 1960, apresenta uma canção própria, Rampa para o Fracasso, no programa de televisão Escada para o Sucesso, transmitido pela TV Itapoã. Em seguida, trabalha como diretor musical do Centro Popular de Cultura (CPC), órgão ligado à União Nacional dos Estudantes (UNE) de Salvador. Perde o emprego depois do fechamento do CPC pelo regime militar, que se estabelece no Brasil em 1964. Nesse momento, estuda na Escola de Música da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e tem aulas de história da música com J.H. Koellreutter, estética, com Ernst Widmer, composição, com Walter Smetak, contraponto, com Tulo Brandão, violoncelo, com Piero Bastianelli, harmonia, com Mary Oliveira, instrumentação, com Lindemberg Cardoso, e orquestração, com Sérgio Magnani.

Em 1965 participa do musical Arena Canta Bahia, que inclui a sua música Cachorro do Inglês (com Chico Assis), apresentado em São Paulo com direção de Augusto Boal. O elenco conta com alguns artistas baianos conhecidos de Tom Zé, como Caetano Veloso e Gilberto Gil. Com estes e outros músicos e poetas, ele integra o movimento tropicalista. Vence o 4º Festival de Música Popular Brasileira da TV Record, em 1968, com a canção São, São Paulo, Meu Amor, gravada no mesmo ano no seu primeiro LP, Tom Zé. Nesse festival ele também conquista o quarto lugar com a composição 2001 (parceria de Rita Lee).

Lança os discos Todos os Olhos, em 1973, e Estudando o Samba, em 1976, que trazem um estilo de composição muito diferente do que é produzido no Brasil. Por esse motivo sua obra não tem grande repercussão, fato que contribui para um isolamento que se prolonga por 17 anos. Tom Zé trata desse período como "morte", dizendo-se "enterrado" por Caetano Veloso e Gilberto Gil para que estes possam herdar sozinhos o legado tropicalista. É "redescoberto" pelo ex-integrante da banda norte-americana Talking Heads e produtor David Byrne, em 1990. Com o apoio de Byrne, ele se torna conhecido na Europa e nos Estados Unidos, onde lança os discos The Best of Tom Zé, em 1990, e The Hips of Tradition, em 1992, divulgados pelo selo Luaka Bop. A partir desse momento, realiza turnês nacionais e internacionais e grava os discos Com Defeito de Fabricação, em 1998, e Jogos de Armar, em 2000, e a trilha sonora de Parabelo, espetáculo de dança do Grupo Corpo, em parceria com José Miguel Wisnik, em 1997, e Santagustin, com Gilberto Assis, em 2002.

Lança, em 2008, Estudando a Bossa, com composições suas sobre a história da bossa nova e dos anos 1950 no Brasil. É lançado Pirulito da Ciência, CD e DVD gravados ao vivo e nos quais faz uma retrospectiva musical de sua carreira, com produção de Charles Gavin. No mesmo ano, é divulgada nos Estados Unidos a caixa Studies of Tom Zé - Explaining Things So I Can Confuse You, com reedições dos discos Estudando o Samba e Estudando o Pagode (em vinil), Estudando a Bossa (em CD) e Tom Zé with Tortoise Live at the Barbican (em compacto de 45 rpm). Suas canções são gravadas por vários artistas, como Namorinho de Portão, por Gal Costa; 2001 (parceria com Rita Lee), por Gilberto Gil, Os Mutantes e Ná Ozzeti; (com Elton Medeiros), por Zélia Duncan; Sapo Antunes (com Beto) e Conto de Fraldas, por Tianastácia; e Vai (Menina Amanhã de Manhã - parceria com Perna), por Mônica Salmaso e, em conjunto, por Jussara Silveira, Rita Ribeiro e Teresa Cristina.


Comentário Crítico

Quando Tom Zé se apresenta pela primeira vez em um canal de televisão de Salvador, em 1960, desconhece o que seja um aparelho de TV. Irará, sua cidade natal, só recebe energia elétrica em 1949, quando ele está com cerca de 14 anos. Esse isolamento não o impede, entretanto, de desenvolver um estilo poético-musical muito moderno para a época. Em sua estreia como compositor e cantor, no programa televisivo Escada para o Sucesso, mostra a canção Rampa para o Fracasso, baseada na colagem de fragmentos de notícias impressas nos jornais de Salvador.

continuar a leitura do texto Continuar a leitura do texto...

Outras informações de Tom Zé:

  • Outros nomes
    • Antonio José Santana Martins
  • Habilidades
    • Música
    • arranjador
    • escritor
    • ator
    • cantor/Intérprete
    • compositor

Espetáculos (4)

Eventos relacionados (4)

Fontes de pesquisa (8)

  • AMARAL, Cláudio J. T. et. al. Entrevista risonha e franca - Tom Zé: o gênio de Irará, Caros Amigos, São Paulo, 1999. Disponível em: <http://www.tomze.com.br/ent5.htm>. Acesso em: 15 set. 2010.
  • GALLO, Carla. Tom Zé, ou quem irá colocar uma dinamite na cabeça do século? São Paulo, 2000. 1 DVD, (48 min.), son., color.
  • MATOS JR, Decio. Fabricando Tom Zé. São Paulo, 2007. 1 DVD, (89 min.), son., color.
  • PALUMBO, Patrícia. Vozes do Brasil 2. 1. ed. São Paulo: Editora DBA, 2007. 204 p., il. p&b.
  • SANCHES, Pedro Alexandre. Pós-David Byrne, Tom Zé volta aos braços do Brasil, Folha de São Paulo, São Paulo, s/d. Disponível em: <2010.http://www.tomze.com.br/ent7.htm>. Acesso em: 15 set. 2010.
  • SILVA, Graccho Silvio Braz Peixoto da. Tom Zé: O defeito como potência; a canção, o corpo, a mídia. 135 f. Dissertação. (Mestrado em Comunicação e Semiótica) ? Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Semiótica, Pontifícia Universitária Católica de São Paulo, São Paulo. Disponível em: <http://www.sapientia.pucsp.br/tde_arquivos/1/TDE-2005-04-12T13:11:22Z-468/Publico/GracchoSilva.pdf> Acesso em: 10 set. 2010.
  • ZÉ, Tom. Tropicalismo lenta luta. 2. ed. São Paulo: Publifolha, 2009. 311 p., il. p&b.
  • CALADO, Carlos. Tropicália: a história de uma revolução musical. São Paulo: Ed. 34, 1997. 336 p. (Coleção Todos os Cantos)

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • TOM Zé. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa12643/tom-ze>. Acesso em: 20 de Nov. 2017. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7