Artigo da seção pessoas Rolando Boldrin

Rolando Boldrin

Artigo da seção pessoas
Teatro / música  
Data de nascimento deRolando Boldrin: 22-10-1936 Local de nascimento: (Brasil / São Paulo / São Joaquim da Barra)

Biografia

Rolando Boldrin (São Joaquim da Barra SP 1936). Compositor, cantor, instrumentista, apresentador, ator, escritor. Aprende a tocar viola aos 7 anos. Cinco anos depois, forma com seu irmão a dupla Boy e Formiga e se apresenta em programa de auditório numa rádio local. Ainda em São Joaquim, atua em palcos como o do Cine Teatro Santana. Incentivado pelo pai, aos 16 anos, muda-se para São Paulo e exerce várias ocupações, como sapateiro, frentista, carregador e garçom, até ingressar na TV Tupi, em 1958, onde atua, declama, compõe e escreve. Estreia como cantor em disco com o bolero Um Cantinho pra Dois, em 1963, em parceria com sua esposa, a cantora Lurdinha Pereira, que grava de Boldrin o samba Papéis Velhos (com Geraldo Vietri), em 1961, e o bolero Meu Coração É Meu Juiz (com Léo Romano), em 1962. Sai da TV Tupi em 1966 e estreia como ator no Teatro Brasileiro de Comédia (TBC), na peça Os Inimigos (1966), com direção de Zé Celso Martinez Corrêa. No Teatro de Arena, integra o elenco da peça Roda Cor de Roda, de 1975, dirigido por Antonio Abujamra. Pelo filme Doramundo, de João Batista de Andrade, recebe o prêmio de melhor ator da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), em 1978. Ao longo dos anos 1980, além de cantar músicas de inspiração rural e contar causos caipiras nos palcos de teatro, grava uma série de LPs e CDs com toadas, cateretês e modas de viola. Em 1993 recebe o Prêmio Sharp pelo LP Disco da Moda. Torna-se apresentador de programas musicais em diferentes emissoras de televisão a partir de 1981: Som Brasil (TV Globo), Empório Brasileiro (TV Bandeirantes), Empório Brasil (SBT) e Estação Brasil (CNT/PR). Desde 2005, apresenta Sr. Brasil, na TV Cultura, pelo qual recebe o Prêmio APCA de melhor programa de televisão em 2005. Zeca Baleiro grava Onde Anda Iolanda, composição de Boldrin, em seu disco Lado Z, em 2007.

 

Comentário Crítico

A facilidade com que Boldrin canta, declama, conta casos com sotaque característico do interior paulista está ligada à sua carreira versátil, inaugurada na TV Tupi. Rosa Nepomuceno credita essa versatilidade aos cordelistas do interior paulista e a Cornélio Pires, a quem Boldrin assiste e ouve quando criança em São Joaquim e se influencia pela militância na causa caipira.

Os programas que ele apresenta a partir de 1981 são a síntese de sua carreira. Eles têm um papel importante na preservação e divulgação de músicas de caráter interiorano, no contexto do aumento da influência de gêneros internacionais no Brasil e da divulgação do pop-sertanejo, representados por duplas como Leandro e Leonardo, Zezé Di Camargo e Luciano, Victor e Léo. Além disso, são responsáveis pelo reaparecimento de músicos veteranos, como Alvarenga, esquecido pelo mercado musical nos anos 1980. O programa Som Brasil surge como uma alternativa à música estrangeira e revela à TV Globo uma fatia do mercado musical que é intensamente explorada nas décadas seguintes. Sr. Brasil, da TV Cultura, em São Paulo, no ar desde 2005, reúne artistas que primam mais pelo caráter tradicional e regional do que pelas novidades do mercado. Apesar da marca caipira, Sr. Brasil recebe material gravado de todo o país e, portanto, de gêneros variados e convida os artistas a participar do programa, creditando devidamente sua cidade de origem e o nome do autor da música apresentada.

Como compositor, o baião Vide Vida Marvada, 1981, música-tema de seus programas, é sua principal marca na memória brasileira. Além dessa música, Tempo das Aves (2005), gravada por Renato Teixeira, e Amor de Violeiro, por Pena Branca e Xavantinho, em 1990, demonstram a simplicidade da canção regional, com violas e duo de vozes. Entre seus parceiros destacam-se Gianfrancesco Guarnieri com Bola na Rede, de 1974, que ambos gravam com a participação da atriz Eva Wilma; e Tom Zé e Svaniek, com Moda do Fim do Mundo, de 1993. Como intérprete consta em sua discografia músicas de Raul Torres e João Pacífico (Chico Mulato), Laureano (Moda da Pinga), Jararaca e Ratinho (O Sapo no Saco), Cornélio Pires e Arlindo Santana (Moda da Revolução - Rebelião Paulista de 1924).

Outras informações de Rolando Boldrin:

  • Outros nomes
    • Rolando Boldrim
  • Habilidades
    • diretor
    • autor
    • músico
    • ator
    • compositor
    • cantor/Intérprete
    • escritor
    • Apresentador
    • Instrumentista

Espetáculos (19)

Eventos relacionados (1)

Fontes de pesquisa (10)

  • NEPOMUCENO, Rosa. Música caipira: da roça ao rodeio. São Paulo: Editora 34, 2005.
  • ANUÁRIO de teatro 1994. São Paulo: Centro Cultural São Paulo, 1996. 415 p. R792.0981 A636t 1994
  • FALCÃO, A. Na Cultura, um retrato musical do país. In: O Estado de S. Paulo, São Paulo, p. D6, 09.set.2006.
  • GUERINI, Elaine. Nicette Bruno & Paulo Goulart: tudo em família. São Paulo: Cultura - Fundação Padre Anchieta: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2004. 256 p. (Aplauso Perfil). 792.092 G932n
  • MARCONDES, Marcos Antônio. Enciclopédia da música brasileira: erudita, folclórica, popular. 2. ed., rev. ampl. São Paulo: Art Editora : Itaú Cultural, 1998. 912 p.
  • Programa do Espetáculo - Abelardo e Heloisa - 1971. Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - Os Inimigos - 1966 Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - Roda Cor de Roda - 1975 Não catalogado
  • TATIT, Luiz. O século da canção. São Paulo: Ateliê Editorial, 2004.
  • VAMOS TIRAR O BRASIL DA GAVETA. InterCD/Sonopress, 2004.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • ROLANDO Boldrin. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa12168/rolando-boldrin>. Acesso em: 20 de Nov. 2017. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7