Artigo da seção pessoas Márcio Sampaio

Márcio Sampaio

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deMárcio Sampaio: 1941 Local de nascimento: (Brasil / Minas Gerais / Santa Maria de Itabira)
Imagem representativa do artigo

Ressurreição Curva , 1981 , Márcio Sampaio
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Biografia
Márcio Sampaio (Santa Maria de Itabira MG 1941). Crítico de arte, pintor, desenhista, poeta e professor. Aos 12 anos começa a pintar, copiando cartões-postais e figuras de revistas. Em 1953, muda-se para Itabira, Minas Gerais, onde tem suas primeiras lições de pintura, com Emília de Cause. Transfere-se para Belo Horizonte em 1959, e ingressa na Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. Expõe Poemas-Cartazes na 1ª Semana Nacional de Poesia de Vanguarda, na Reitoria da UFMG, em 1963. Ainda no início da década de 1960, funda, com um grupo de amigos, a revista de vanguarda Ptyx. Realiza sua primeira mostra individual em 1964, mesmo ano em que lança o livro de poesias Rubro Apocalíptico. Passa a atuar como crítico de arte no jornal Diário de Minas em 1965 e lança seu segundo livro de poemas, O Ciclo de Barro. No ano seguinte, começa a colaborar como ilustrador no suplemento literário do Minas Gerais, recém-criado pelo escritor Murilo Rubião (1916 - 1991). Participa da 9ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1967. Entre 1968 e 1971, é coordenador do Museu de Arte da Pampulha - MAP (Belo Horizonte MG). Em 1971, inicia a série de obras denominada Galeria Antropofágica e, no ano seguinte, assume a coordenação do Palácio das Artes de Belo Horizonte. Ingressa como professor na Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais - EBA/UFMG em 1977, e se aposenta em 1999. Em 2005 é realizada na Grande Galeria do Palácio das Artes de Belo Horizonte a exposição Declaração de Bens, retrospectiva de 50 anos de sua carreira.

Comentário Crítico
Márcio Sampaio dedica-se inicialmente ao desenho, no qual, como nota o historiador da arte Roberto Pontual, revela o interesse pelos costumes e pela cultura mineira. O artista explora também questões da fotografia e da paisagem urbana, como na série Indicações, s.d. e cria obras a partir de objetos do cotidiano.

Uma de suas séries mais conhecidas é a Galeria Antropofágica, iniciada em 1971, na qual recria com humor e ironia obras de diferentes artistas nacionais, como Tarsila do Amaral (1886 - 1973) , Milton Dacosta (1915 - 1988) e Amilcar de Castro (1920 - 2002), apresentando-as juntamente com trabalhos de artistas internacionais, como Piet Mondrian (1872 - 1944) e Kazimir Malevitch (1878 - 1935).

Durante a década de 1970, Sampaio passa a atuar como crítico de arte, escrevendo primeiramente para o Diário de Minas Gerais e em seguida para o Suplemento Literário de Minas Gerais. Como nota a historiadora da arte Marília Andrés Ribeiro, o artista procura ainda incentivar o trabalho de jovens artistas mineiros, promovendo mostras coletivas como o Happening Brasil: a Festa, a Construção, Arte Total, 1970 que, por meio de imagens da arte popular e do repertório moderno, busca uma releitura da cultura brasileira. No final da década de 1960, ao coordenar os eventos do Museu de Arte da Pampulha - MAP, organiza o 1º Salão de Arte Contemporânea de Belo Horizonte, com o qual abre espaço para as propostas dos artistas da vanguarda mineira, como José Ronaldo Lima (1939), Lotus Lobo (1943), Jarbas Juarez (1936), Raymundo Colares (1944 - 1986) e Noviello (1929), entre outros. É curador de grandes mostras temáticas como A Paisagem Mineira, 1977, no Palácio das Artes, que apresenta uma ampla reflexão sobre a história da paisagem local, e Desenho Mineiro, 1979, no mesmo local, que procura demonstrar as potencialidades dessa técnica em Minas Gerais, desde o modernismo.

Outras informações de Márcio Sampaio:

  • Outros nomes
    • Marcio Sampaio
  • Habilidades
    • Empresário
    • desenhista
    • fotógrafo
    • poeta
    • crítico de arte
    • editor
    • pintor
  • Relações de Márcio Sampaio com outros artigos da enciclopédia:

Obras de Márcio Sampaio: (4) obras disponíveis:

Exposições (51)

Todas as exposições

Fontes de pesquisa (21)

  • 4X minas. Texto Marcus de Lontra Costa, Angelo Oswaldo, Philippe Cyroulnik, Ferreira Gullar, Roberto Pontual, Márcio Sampaio; tradução Maurício Fernandes. Rio de Janeiro: MAM, 1993. 48 p., il. color.
  • GONÇALVES, Regis. O eterno guerreiro da vanguarda. UFMG - Boletim Informativo. Belo Horizonte, Ano 32, n° 1560, 27 nov. 2005. Disponível em: http://www.ufmg.br/boletim/bol1506/oitava.shtml. Acesso em: jan. 2006.

  •  
  • SALÃO PARANAENSE DE BELAS ARTES, 37., 1980, Paraná, PR. 37º Salão Paranaense de Belas Artes. Curitiba: Teatro Guaíra, 1980. 48 p.
  • SALÃO PARANAENSE DE BELAS ARTES, 29., 1972, Paraná, PR. 29º Salão Paranaense de Belas Artes. Curitiba: Teatro Guaíra, 1972. 32 p. 
  • AYALA, Walmir (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1980. v.4: Q a Z. (Dicionários especializados, 5).
  • AYALA, Walmir. Dicionário de pintores brasileiros. Organização André Seffrin. 2. ed. rev. e ampl. Curitiba: Ed. UFPR, 1997. 428 p. R750.81 A973d 2.ed.
  • AYALA, Walmir. Dicionário de pintores brasileiros. Rio de Janeiro: Spala, 1992. 2v., 950p.
  • BIENAL INTERNACIONAL DE SÃO PAULO, 9., 1967, São Paulo, SP. Catálogo geral. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1967. 700 BI588sp 9/1967
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988. 555 p. R759.981 L533d
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988. 555 p.
  • PONTUAL, Roberto. Arte brasileira contemporânea: Coleção Gilberto Chateaubriand. Apresentação Pereira Carneiro; tradução Florence Eleanor Irvin, John Knox. Rio de Janeiro: Edições Jornal do Brasil, 1976. 478 p.
  • PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Texto Mário Barata, Lourival Gomes Machado, Carlos Cavalcanti et al. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969. 559 p. R703.0981 P818d
  • PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. Rio de Janeiro: Edições Jornal do Brasil, 1987. 585 p. 709.8104 Cg492pr
  • PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. Rio de Janeiro: Edições Jornal do Brasil, 1987. 585 p.
  • RIBEIRO, Marília Andrés (org.); SILVA, Fernando Pedro da (org.). Um Século de história das artes plásticas em Belo Horizonte. Apresentação Saulo Coelho, Roberto Borges Martins. Belo Horizonte: C/Arte, 1997. 500 p. : 300 il. col. (Centenário).
  • SALÃO Global de Inverno, 8., 1981. Belo Horizonte: Minas/Arte atual. São Paulo: MASP, 1981. 36 p., il. p&b color.
  • SALÃO Paranaense, 29. Curitiba: Teatro Guaíra, 1972. PRsp 1972
  • TOMA de Minas a estrada. Rio de Janeiro: Hotel Nacional, 1984. Mgsec 1984
  • TOMA de Minas a estrada. Rio de Janeiro: Hotel Nacional, 1984. , il. color.
  • ZANINI, Walter (org.). História geral da arte no Brasil. Pesquisa Cacilda Teixeira da Costa, Marília Saboya de Albuquerque. São Paulo: Fundação Djalma Guimarães: Instituto Walther Moreira Salles, 1983. 1106 p. 2v.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • MÁRCIO Sampaio. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa11837/marcio-sampaio>. Acesso em: 16 de Dez. 2017. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7