Artigo da seção pessoas Antônio Carlos Cardoso

Antônio Carlos Cardoso

Artigo da seção pessoas
Dança / teatro  
Data de nascimento deAntônio Carlos Cardoso: 1939 Local de nascimento: (Brasil / Rio Grande do Sul / Porto Alegre)

Biografia
Antonio Carlos Cardoso (Porto Alegre, RS, 1939). Diretor artístico, coreógrafo, bailarino e fotógrafo. Começa no teatro em 1957, com Carlos Murtinho, em Porto Alegre. Um ano depois, tem aulas de dança clássica com Tony Petzhold (1914-2000) e Marina Fedossejeva, com quem estuda durante três anos. Passa a integrar, como estagiário, entre 1960 e 1962, o Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, no qual tem aulas com Tatiana Leskova (1922) e Eugênia Feodorova (1925-2007).

Simultaneamente, atua em musicais no Copacabana Palace. Com O Teu Cabelo não Nega (1964), de Carlos Machado, realiza viagem de seis meses no México. Em sua primeira estadia na Europa (1965-1966), participa de turnê com o Ballet Nacional de Marseille (França), atua no Ballet da Ópera Stadttheater Bonn e no Basiches Staatstheater (Alemanha). Retorna a São Paulo em 1967, quando participa de quadros de programas televisivos de variedades, como Boa Noite Cinderela, e do desfile da Rhodia Momento 68. Na Sociedade Ballet de São Paulo, de Halina Biernacka (1914-2005), além de dançar, cria Sem Título (1969), sua primeira coreografia. Funda, com Marilena Ansaldi, o grupo Dança Viva e elabora coreografia com o mesmo título, em 1972. Na segunda estadia na Europa, de 1972 a 1973, dança no Royal Ballet de Flanders (Antuérpia-Bélgica), para o qual coreografa X. No mesmo período, participa de oficina de composição coreográfica com Hans van Manen. Ao retornar a São Paulo, em 1974, assume a direção do ex-Corpo de Baile Municipal, atual Balé da Cidade de São Paulo (BCSP). Nele, realiza Nosso Tempo (1976), Soledad (1976), Percussão para Oito (1977), Brahms (1979), Aquarela do Brasil (1979) e Sol do Meio Dia (1980).

Em 1979, recebe o prêmio Governador do Estado pelos serviços prestados à dança. É convidado a criar e dirigir o Balé do Theatro Castro Alves (Salvador), no qual permanece entre 1981 e 1983, quando realiza Maria Quitéria (1981). Para o diretor Celso Nunes, coreografa a peça Os Sete Pecados Capitais (1984). Como artista convidado do governo norte-americano no American State Governement for the Cultural Exchange Program, empreende, em 1984, viagem ao país. No ano seguinte volta a dirigir, por breve período, o Balé da Cidade de São Paulo. Retoma a direção do Balé do Theatro Castro Alves de 1987 a 1988. E volta a dirigi-lo entre 1991 e 2005, momento em que empreende carreira internacional com a companhia, viajando a países como Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha e Portugal, e realiza Pássaro de Fogo (1992). Simultaneamente, estuda e se profissionaliza como fotógrafo, expondo na Galeria Pierre Verger, em Salvador, entre 2002 e 2003. Coreografa De Buscas e Solidão para a Companhia de Dança do Palácio das Artes (Belo Horizonte), em 2001. Retorna a Porto Alegre em 2005, quando passa a dar aulas para grupos locais e a realizar trabalhos em fotografia.

Comentário Crítico
A direção artística de Antonio Carlos Cardoso inaugura um novo modelo de companhia, mais moderno e dinâmico. Embora muitas vezes ofuscado pela repercussão do trabalho de direção, a sua presença como coreógrafo também é importante no sentido de formular, coreograficamente, temas cotidianos.

continuar a leitura do texto Continuar a leitura do texto...

Outras informações de Antônio Carlos Cardoso:

  • Outros nomes
    • Antônio Carlos Cardoso
  • Habilidades
    • bailarino
    • fotógrafo
    • coreógrafo
    • diretor artístico

Espetáculos (1)

Eventos relacionados (1)

Fontes de pesquisa (16)

  • CARDOSO, Antonio Carlos. Disponívem em: http://www.accfotodanca.com.br/diretor.htm. Acesso em: 05 jan. 2012.
  • KATZ, Helena. “Aquarela do Brasil” e alguns tropeços. Jornal da Tarde. 02 abr. 1979.
  • KATZ, Helena. O Brasil descobre a dança descobre o Brasil. São Paulo: Doréa Books and Art, 1994.
  • KATZ, Helena. Belas Coreografias sem sotaque. Folha S.Paulo. 7 jun. 1983.
  • KATZ, Helena. Castro Alves celebra 25 anos de seu corpo de baile. O Estado de S. Paulo, Caderno 2. 13 dez. 2006.
  • KATZ, Helena. Corpo de Baile abre hoje temporada. Folha S.Paulo. 12 mar. 1979.
  • KATZ, Helena. Corpo de Baile faz cinco anos outra vez. Folha de S.Paulo. 12 out. 1979.
  • KATZ, Helena. O que há com o nosso Corpo de Baile? Jornal da Tarde. 1º out. 1979.
  • LOPEZ, Rui Fontana. Saem os baianos. Visão. 12 out. 1981.
  • BRAGATO, Marcos. Antonio Carlos Cardoso. Dançar. São Paulo: Dançar Editorial, Ano II, no 7, 1984. p. 12-13.
  • COELHO, Maria Cristina Barbosa Lopes; XAVIER, Renata Ferreira (org.). Memória da Dança em São Paulo. São Paulo: Centro Cultural São Paulo, 2007. 92 p. (cadernos de pesquisa, v. 4)
  • COURI, Norma. Dançar São Paulo. Balé da Cidade de São Paulo. São Paulo: Formarte, 2003. p. 17-18.
  • DIOGO, Carolina Duarte. Os homens entram na dança. Trabalho de conclusão de curso, Faculdade de Educação Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), 2010.
  • KATZ, Helena. Quatro décadas de puro bailado. O Estado de S. Paulo, Caderno 2, 2 mar. 2008.
  • LOPEZ, Rui Fontana. Balé da Cidade de São Paulo - 35 anos. Versão ligeiramente modificada de um texto escrito no verão de 2003 para as comemorações dos 35 anos do Balé da Cidade de São Paulo. Enviado pelo autor.
  • VALLIM, Acácio. Balé na Cidade de São Paulo: Sua História Inicial. Balé da Cidade de São Paulo, Cássia Navas (curadora) e Norma Couri (texto). São Paulo: Formarte, 2003.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • ANTÔNIO Carlos Cardoso. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa108955/antonio-carlos-cardoso>. Acesso em: 22 de Set. 2017. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7