Artigo da seção pessoas Maria Eugênia Milet

Maria Eugênia Milet

Artigo da seção pessoas
Teatro  
Data de nascimento deMaria Eugênia Milet: 01-05-1953 Local de nascimento: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)

Biografia
Maria Eugênia Viveiros Milet (Rio de Janeiro, RJ, 1953). Atriz, arte-educadora e diretora de teatro. Em 1970, ingressa no Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), fazendo o primeiro estágio sob coordenação da psiquiatra Nise da Silveira (1905-1999). Transfere-se para Salvador em 1973. Conclui o curso na Universidade Federal da Bahia (UFBA) e dedica-se à psicanálise. Começa a fazer teatro em Salvador dirigida pela atriz Jurema Penna (1927-2001). Juntamente com os artistas baianos Márcio Meirelles e Hebe Alves, cria o Grupo Avelãs y Avestruz, que pesquisa a linguagem teatral a partir de processos de improviso, produzindo espetáculos de 1975 a 1992.

Depois da fase como atriz, trabalha como arte-educadora, coordenando projetos de artes cênicas na Bahia. É autora do livro Manual de Criatividades (1997), em parceria com o diretor Paulo Dourado. A partir da sua experiência como educadora no Projeto Axé e cocriadora do Bando de Teatro Olodum, voltado para adolescentes, organiza, em 1994, o Centro de Referência Integral de Adolescentes (Cria), no Pelourinho. Trabalha como professora das disciplinas de pedagogia do teatro na Escola de Teatro da UFBA, em 1997. Dedica-se à licenciatura em teatro na mesma universidade, desenvolvendo atividades de ensino, pesquisa e extensão em conexão com movimentos sociais, escolas públicas e ONGs. Coordena eventos que fortalecem redes de arte-educação: o Movimento de Intercâmbio Artístico e Cultural pela Cidadania, de 1998 a 2001; o festival anual da Rede Ser-Tão Brasil, desde 2002, reunindo grupos artísticos de Salvador com grupos do interior do estado; a Rede Latino-Americana de Arte e Transformação Social, a partir de 2006. 

Comentário Crítico
Milet participa expressivamente do teatro baiano nas décadas de 1970 e 1980. Entre seus muitos trabalhos, destacam-se os espetáculos Rapunzel e O Pai, do Grupo Avelãs y Avestruz. Também tem parte ativa nas reformas de gestão e de projetos pedagógicos para não atores do Teatro Vila Velha (TVV), durante os anos 1990, que revigoram o espaço, transformando-o em referência na área de formação em teatro-educação e pesquisa sobre o tema na Bahia. Atuando progressivamente como arte-educadora, passa a ter outra relação com a cidade, dedicando-se a projetos sociais ancorados na pedagogia do teatro e na mobilização de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade.

É supervisora e diretora de arte no Cria de 1994 a 2011, aprofundando sua proposta de teatro direcionada para jovens. Lidera a formação de uma equipe de arte-educadores que faz a cogestão da instituição. O trabalho é baseado na participação criativa de adolescentes e seus familiares, provenientes de classes populares de Salvador. Esta proposta, descrita na sua dissertação de mestrado em 2005, envolve dança, música e poesia, estimulando a criação de novos grupos, articulados e dirigidos por adolescentes. O modelo de funcionamento do Cria irradia para outros estados e países tão diversos como Itália, Moçambique e Suécia. Reconhecido internacionalmente, a instituição passa a ser vista como norte conceitual por vários grupos de teatro que reúnem adolescentes da periferia de Salvador e do interior do estado.

Elabora materiais educativos como cartilhas, livros e vídeos voltados para a irradiação de aprendizados coletivos protagonizados por crianças, jovens, artistas e educadores. Articula metodologias de teatro comunitário, projetos de desenvolvimento sustentável e a qualificação de políticas públicas de educação e saúde, vinculando-se a movimentos pela valorização da cultura e da infância no Brasil. Desse modo, sua atuação em Salvador extrapola o campo da criação artística, implicando, em sua própria trajetória, num exercício de cidadania e de mobilização pelo estabelecimento de ações pedagógicas de amplo alcance por intermédio da linguagem teatral.

Outras informações de Maria Eugênia Milet:

  • Outros nomes
    • Maria Eugênia Viveiros Milet
  • Habilidades
    • Ator
    • Arte-educador
    • diretor de teatro
    • Ensino Superior

Fontes de pesquisa (1)

  • MILET, Maria Eugênia. [Currículo]. Enviado pela artista em 10 fev. 2012.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • MARIA Eugênia Milet. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa105514/maria-eugenia-milet>. Acesso em: 14 de Nov. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7