Artigo da seção pessoas Iran do Espírito Santo

Iran do Espírito Santo

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deIran do Espírito Santo: 15-01-1963 Local de nascimento: (Brasil / São Paulo / Mococa)
Imagem representativa do artigo

Abat-jour , 1996 , Iran do Espírito Santo
Reprodução Fotográfica Eduardo Castanho/Itaú Cultural

Biografia
Iran Teófilo do Espírito Santo (Mococa, São Paulo, 1963). Artista multimídia, pintor, desenhista, escultor, gravador. Em 1986, licencia-se em Educação Artística pela Fundação Armando Álvares Penteado (Faap/SP), onde tem aulas com os artistas Nelson Leirner (1932) e Regina Silveira (1939) e aproxima-se de artistas como Ana Tavares (1958) e Mônica Nador (1955). Insere-se, assim, no questionamento dos usos tradicionais dos suportes artísticos. Em 1987, transfere-se para Londres, onde reside por três anos. Em 1991, faz sua primeira exposição individual na Plug in Inc. Gallery, em Winnipeg, Canadá, onde também faz residência artística. Dois anos depois é artista residente do Tamarind Institute, em Albuquerque, Estados Unidos. Desde então, Espírito Santo desenvolve uma produção extensa. Expõe seus trabalhos em 2007, na mostra panorâmica organizada pela Pinacoteca do Estado de São Paulo, em conjunto com o Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo (MAXXI/Roma) e pelo Irish Museum of Modern Art (IMMA /Dublin). Iran do Espírito Santo reside em São Paulo e atua como ilustrador e artista gráfico.

Análise da Trajetória
Desde meados da década de 1980, o trabalho de Iran do Espírito Santo problematiza a representação visual e os hábitos perceptivos do espectador. Ou, como sugere o curador norte-americano Garry Garrels (1951), “promove um diálogo entre o que vemos e a maneira como compreendemos o que vemos”. Nesse primeiro momento, é sobretudo no desenho, base de seu processo criativo, que a acuidade técnica e a economia formal mostram-se com maior evidência. Trata-se de recursos que, ao trazer os objetos cotidianos para o espaço da arte, questionam a naturalidade de sua aparência corriqueira. Na série Conteúdos Úteis (1989), o artista utiliza perfis de embalagens industriais, facilmente identificáveis pelo espectador, mas de acentuada impessoalidade em sua padronização. Existe uma atitude crítica face aos códigos visuais da sociedade de consumo e à inserção da arte nessa lógica, ou seja, faz o caminho inverso do objeto à ideia. Esse percurso chama a atenção de comentadores como o curador Felipe Chaimovich (1968).

Ao mesmo tempo, na virada dos anos 1980 para os 1990, as instalações do artista chamam a atenção do espectador para as relações entre a obra e o ambiente em que se situa. Muitas das pinturas em parede e das experimentações com superfícies translúcidas e espelhadas que Espírito Santo produz até os anos 2000 vão nessa direção. É o caso de trabalhos como Extensão e Restless 1 e 2 (1997), que jogam com as complexidades impostas ao olhar pela produção de superfícies ambíguas, e que problematizam as relações espaciais dos locais expositivos. Em Extensão, por exemplo, o artista cria, em grande escala, o que parece uma parede de tijolos pintada em tons de cinza. Trata-se da justaposição de retângulos, linhas verticais e horizontais, delimitadas por cor. A familiaridade com as formas faz o espectador se deparar com os limites entre conceito e matéria. O mesmo acontece com Restless, em que painéis sobrepostos encostados em uma parede parecem tão familiares que tornam a obra quase “invisível”, pois colocam em dúvida o limite entre vida e arte.

Já em Sem título (buraco de fechadura) (1999) existe nova problematização espacial. A obra é uma escultura em aço inox, que representa o buraco de uma fechadura. Um objeto sólido cuja superfície polida reflete o entorno. Ao mesmo tempo, em outros objetos produzidos nesta e nas décadas posteriores, Espírito Santo expande as possibilidades perceptivas dos objetos cotidianos e coloca em questão a naturalidade de sua aparência ao fundi-los em materiais inesperados, como o Copo d’água  feito em cristal (2006-2007) ou a série de Latas (2004-2005) fundidas em aço inoxidável. Nelas, o trabalho manual é substituído por uma produção inteiramente industrial.

A série CRTN (2004-2006) vai na direção oposta. Nesta, o artista produz ambiguidades por meio da aplicação serial de canetas marcadoras. Também em esculturas como as da série Destroços (2004), a aparente influência do acaso opõe-se ao procedimento controlado que lhes deu origem.   

Outras informações de Iran do Espírito Santo:

  • Outros nomes
    • Iran Teófilo do Espírito Santo
  • Habilidades
    • desenhista
    • pintor
    • gravador
    • escultor

Obras de Iran do Espírito Santo: (8) obras disponíveis:

Exposições (126)

Todas as exposições

Eventos relacionados (2)

Fontes de pesquisa (27)

  • CITY canibal. Curadoria Vitória Daniela Bousso. São Paulo: Paço das Artes, 1998. [58] p., il. color.  
  • IRAN DO ESPÍRITO SANTO. (Textos de Paolo Colombo, Enrique Juncosa e Lilian Tone). Dublin: Irish Museum of Modern Art, 2006.

     

  • A NOVA dimensão do objeto. Texto de Aracy Amaral. São Paulo: MAC/USP, 1986.
  • ANA Maria Tavares, Artur Lescher, Iran do Espírito Santo. Texto de Tadeu Chiarelli. São Paulo: Paço das Artes, 1990.
  • AO cubo. Curadoria Luciana Brito, Martin Grossmann; fotografia João Luiz Musa. São Paulo: Paço das Artes, 1997. s. p. il.
  • ARTE na cidade. Apres. Shirley Paes Leme. Uberlândia: Universidade Federal de Uberlândia, 1995.
  • BIENAL INTERNACIONAL DE SÃO PAULO, 19. , 1987. Catálogo geral. Apresentação de Jorge Wilheim. Introdução de Sheila Leirner. São Paulo: Fundação Bienal, 1987.
  • CÂMARAS. Fotografia Leopoldo Plentz; apresentação Nicéa Irigaray Brasil. Porto Alegre: Solar dos Câmaras, 1992. s. p.
  • CENTRO CULTURAL LIGHT (RIO DE JANEIRO, RJ). Horizonte reflexivo. Projeto gráfico João Modé; curadoria Eduardo Brandão, Lisette Lagnado; versão em inglês Stephen Berg; fotografia Everton Beraldin, Eduardo Giannini Ortega. Rio de Janeiro: Centro Cultural Light, 1998. 36p. il. color.
  • CHAIMOVICH, Felipe. Iran do Espírito Santo. São Paulo: Cosac & Naify, 2000. 
  • CHIARELLI, Tadeu (coord. ). Grupo de estudos em curadoria: exposições organizadas em 1998. Apresentação Ricardo Ribenboim; tradução Izabel Murat Burbridge; texto Felipe Chaimovich, Rejane Cintrão, Marcos Moraes, Helouise Costa, Ricardo Resende, Regina Teixeira de Barros; apresentação Milú Villela. São Paulo: MASP, 1999. 104 p. il. color.
  • CORTE no olhar: Fernando Limberger, Iran do Espírito Santo, Lina Kim, Lucia Koch, Paulo Climachausta. Apres. Carlos Miele. Texto de Rejane Cintrão. São Paulo: MAM; Rio de Janeiro: MAM, 1995. (Painel M. Officer).
  • CURI, Celso (coord. ), ARTIGAS, Rosa Camargo (coord. ). Espaço Aberto. Fotografia Lilia Kawakami; apresentação Marcos Moraes. São Paulo: Oficina Cultural Oswald de Andrade, 1999. folha dobrada il. color.
  • DESENHOS. Apresentação de Annateresa Fabris. São Paulo: Centro Cultural Bonfiglioli, 1985.
  • ESPELHOS e sombras. Apres. Eduardo A. Levy Jr. Texto de Aracy Amaral. São Paulo: MAM; Rio de Janeiro: Centro Cultural Banco do Brasil, 1994/1995.
  • FAGUNDES, Carlos E. Uchôa. Iran do Espírito Santo joga com tramas. Folha de S. Paulo, São Paulo, 14 mar. 1995. Ilustrada, p. 9.
  • GALERIA LUISA STRINA (SÃO PAULO, SP). Beige: Caetano de Almeida, Edgard de Souza, Iran do Espírito Santo. Fotografia Eduardo Brandão; texto Tadeu Chiarelli. São Paulo : Galeria Luisa Strina, 1996. 1 folha dobrada 3 il. color.
  • HOMEM sanduíche. São Paulo: Praça Ramos de Azevedo, 1993. s. p. il. , foto. p. b.
  • IMAGENS de segunda geração. Apres. Ana Mae Barbosa. Texto de Tadeu Chiarelli. São Paulo: MAC/USP, 1987.
  • IRAN DO ESPÍRITO SANTO. (Textos de David Barros e Philip Larratt-Smith). Santiago de Compostela: Galería SCQ/ DARDO, 2010.
  • MUSEU DE ARTE MODERNA (SÃO PAULO, SP). Arte brasileira contemporânea: doações recentes/96. São Paulo, 1996. 45 p. il. color.
  • MUSEU DE ARTE MODERNA (SÃO PAULO, SP). Arte brasileira no acervo do Museu de Arte Moderna de São Paulo: doações recentes 1996-1998. Curadoria Tadeu Chiarelli; fotografia Romulo Fialdini, Tuca Reinés, João Luiz Musa. Rio de Janeiro: Centro Cultural Banco do Brasil, 1998. 48p. il. color.
  • O ESPÍRITO da nossa época: coleção Dulce e João Carlos de Figueiredo Ferraz. Curadoria Stella Teixeira de Barros, Ricardo Resende; concepção João Carlos de Figueiredo Ferraz; coordenação editorial Rejane Cintrão, Stella Teixeira de Barros; texto João Carlos de Figueiredo Ferraz, Stella Teixeira de Barros; versão em inglês Thomas William Nerney, Izabel Murat Burbridge; fotografia Vicente de Mello, Everton Ballardin, Romulo Fialdini, Wim Cox; projeto gráfico José Roberto Freire; apresentação M. F. do Nascimento Brito. São Paulo: MAM, 2001. 216 p. il. color.
  • PEDROSA, Adriano (org. ). Nelson Leirner e [and] Iran do Espírito Santo: 48. Biennale di Venezia - Padiglione Brasile. Curadoria Ivo Mesquita; apresentação Carlos Bratke, Francisco Weffort; texto Ivo Mesquita, Lisette Lagnado, Adriano Pedrosa; tradução Veronica Cordeiro; projeto gráfico Raul Loureiro; edição Adriano Pedrosa. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1999. 72 p. il. color.
  • REAL: Fernando Limberger, Georgia Creimer, Iran do Espírito Santo, Nina Moraes. Apresentação de Mario Ramiro e Pedro A. G. Cury. São Paulo: Instituto de Arquitetos do Brasil, 1989.
  • SAMAD, Daniella Elgul. A Produção Plástica dos anos 80 e 90 no repertório de Ana Maria Tavares e Iran do Espírito Santo. Dissertação (Mestrado) - Departamento de Artes Plásticas da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo - ECA/USP, 2002.
  • UMA VISÃO GERAL, Iran do espírito Santo. (Textos de Adriano Pedrosa, Felipe Chaimovic, Gary Garrels, Marisol Argüelles e Paulo Herkenhoff). São Paulo: Estação Piancoteca, 2007. Exposição realizada no período de 1o set. a 11 nov. 2007.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • IRAN do Espírito Santo. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa103882/iran-do-espirito-santo>. Acesso em: 19 de Ago. 2018. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7