Artigo da seção pessoas João Rossi

João Rossi

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deJoão Rossi: 24-12-1923 Local de nascimento: (Brasil / São Paulo / São Paulo) | Data de morte 18-07-2000 Local de morte: (Brasil / São Paulo / São Paulo)
Imagem representativa do artigo

Índias Guaranis , s.d. , João Rossi
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Biografia

João Rossi (São Paulo, São Paulo, 1923 - São Paulo, São Paulo, 2000). Pintor, gravador, ceramista, escultor, muralista, professor. Em 1949 viaja para o Uruguai. No ano seguinte é diretor da Associação Cristã de Moços de Montevidéu, onde é professor de educação física e, paralelamente, de desenho e pintura. Em 1951 vai para o Paraguai trabalhar na Associação Cristã de Moços de Assunção e ministra conferências sobre arte e aulas de desenho, pintura e história da arte. Ensina pintura ao ar livre e novas técnicas de emprego do pincel e da espátula e forma o Grupo Arte Nuevo. Volta a São Paulo em 1953 e leciona na Escola de Artesanato do Museu de Arte Moderna de São Paulo - MAM/SP ao lado de Nelson Nóbrega (1900 - 1997), Lívio Abramo (1903 - 1992) e Wolfgang Pfeiffer (1912 - 2003). Em 1954 realiza a tela Mangacha - apelido de sua esposa, a ceramista paraguaia Isabel Olmedo (1926) - e, a convite de Flávio Motta (1916), leciona na Escola de Arte da Fundação Armando Álvares Penteado - Faap. Torna-se diretor dessa escola em 1959 e da Faculdade de Artes Plásticas da mesma instituição em 1962. Participa da 8ª Bienal Internacional de São Paulo em 1965. Executa com Caciporé Torres (1935) os murais História e Evolução da Cidade de São Paulo, para a fachada do Palácio dos Bandeirantes, em 1968. Em 1970 é professor da Faculdade de Artes Plásticas da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Realiza mostra retrospectiva na Fundação Memorial da América Latina em 1999.

Análise

Destaca-se pelo emprego da técnica polimatérica, caracterizada pelo uso de diversas matérias-primas na composição de sua obra, que ele divide em dois temas - Ameríndia e Urbanas. A temática Ameríndia tem origem no começo dos anos 1950, época em que reside no Uruguai e Paraguai, com base na percepção da desigualdade social vivida pelos índios sul-americanos. "O ameríndio é intransferível no traço social que João Rossi, ao longo dos anos, conseguiu remontar em suas gravuras (...)".1 Marginais, prostitutas, vendedores de flores e frutas e crianças mortas aparecem aqui tanto em gravuras, pinturas como em objetos.

Realiza as obras do eixo Urbanas a partir de 1953, quando volta a São Paulo, e se dedica ao desenvolvimento urbano e a iluminação do centro da cidade, como na obra Luminosos - Rua Álvaro de Carvalho com Av. 9 de Julho, de 1970. Aponta a transformação de lugares como a avenida 9 de Julho, apresentando em uma mesma obra antigos casarios e arranha-céus. As aquarelas, gravuras e pinturas dessa série têm em comum as gradações tonais com base na sobreposição de cores e mostram São Paulo como uma grande cidade. As duas temáticas se unem quando o artista insere a figura Ameríndia em algumas paisagens do eixo Urbanas.

Nota

1. CHRISTO, Anthony de. A face irreversível da América Latina. In: ROSSI, João. João Rossi. Elementos de Comunicação Visual Sensível (1950 a 1980). Campinas: Museu de Arte Contemporânea de Campinas, 1981.

 

Outras informações de João Rossi:

  • Outros nomes
    • João Rossi
  • Habilidades
    • Pintor
    • Ceramista
    • gravador
    • professor de artes plásticas

Obras de João Rossi: (2) obras disponíveis:

Exposições (16)

Fontes de pesquisa (15)

  • AYALA, Walmir (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1980. v.4: Q a Z. (Dicionários especializados, 5).
  • Caixa Imprensa. Disponível em: . Acesso em: 7 mai. 2012. Não catalogado
  • FONTES: R832 1982; R832j 1999; Artistas do Muralismo Brasileiro (751.730981 v921a); Artes Plásticas Brasil 1989, J. Louzada (R702.9 L895a v3); Dicionário Crítico da Pintura no Brasil, Teixeira Leite (R759.981 L533d). Casado com a ceramista paraguaia Isabel Olmedo, foi um dos artistas que deram início ao movimento moderno no Paraguai, retornando a São Paulo em 1953. Não catalogado
  • JOÃO ROSSI. Site do artista. São Paulo, 2001. Disponível em: [http://www.joaorossi.com.br]. Acesso em: 23 jun. 2006.
  • KLINTOWITZ, Jacob. João Rossi. As luzes da América. Textos Jacob Klintowitz, Pietro Maria Bardi. São Paulo: Edição Encontro das Artes, 1983. [100 p.], il. color, p.b.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969.
  • ROSSI, João. João Rossi e a arte moderna no Paraguai. Curadoria Tício Escobar; texto Lívio Abramo, Jens Olesen, Olga Blinder, Mario Schenberg, Josefina Plá. São Paulo: Fundação Memorial da América Latina, 1999. folha dobrada, il. p&b, color.
  • ROSSI, João. João Rossi gravuras "Ameríndias e Urbanas". Textos Jacob Klintowitz, João J. Spinelli, Radha Abramo, Mário Schenberg, João Rossi, Pietro Maria Bardi, Manuel López Oliva. São Paulo: Pinacoteca do Estado de São Paulo, Secretaria de Estado da Cultura, s/d.
  • ROSSI, João. João Rossi. Elementos de Comunicação Visual Sensível (1950 a 1980). Textos Ilda H. D. Castello Branco, Mario Schenberg, Bernardo J. Castello Branco, Wofgang Pfeiffer, Anthony de Christo, Pedro Manuel Gismondi, José Geraldo Vieira e Radha Abramo. Campinas: Museu de Arte Contemporânea de Campinas, 1981. [16 p.]
  • ROSSI, João. Raíces Paraguayas. Assunção: Casa Castelví, 2005.
  • ROSSI, João. Temas urbanos: óleos e algumas aquarelas. São Paulo: Galeria Documenta, 1982. , il. p&b.
  • ROSSI, João. Urbanas. Coordenação Marta Veloso de Souza. São Paulo: Casa das Artes - Galeria, 1999. folha dobrada, il. p&b color.
  • SOUSA, Maria de Lourdes. Percurso de uma dimensão plástica - mapeamento da obra do comunicador visual João Rossi. Programa Comunicação Semiótica PUC/SP. São Paulo: ML Produções Artísticas, 1999. 1 CD-ROM Multimídia.
  • ZANINI, Walter (Coord.). História geral da arte no Brasil. São Paulo: Instituto Moreira Salles: Fundação Djalma Guimarães, 1983. v.2.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • JOÃO Rossi. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa10269/joao-rossi>. Acesso em: 24 de Mar. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7