Artigo da seção pessoas Leopoldo Gotuzzo

Leopoldo Gotuzzo

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deLeopoldo Gotuzzo: 04-08-1887 Local de nascimento: (Brasil / Rio Grande do Sul / Pelotas) | Data de morte 04-11-1983 Local de morte: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)
Imagem representativa do artigo

Nu , 1920 , Leopoldo Gotuzzo
Reprodução fotográfica Romulo Fialdini

Biografia
Leopoldo Gotuzzo (Pelotas RS 1887 - Rio de Janeiro RJ 1983). Pintor e desenhista. Inicia sua formação artística em Pelotas, Rio Grande do Sul, em torno de 1900, com o pintor italiano Frederico Trebbi (18-- - 1928?). Vive em Roma, de 1909 a 1915, quando estuda pintura com Joseph Nöel e visita os principais museus italianos. Transfere-se para Madri, em 1915, ano em que, pela primeira vez, envia seus trabalhos ao Salão Nacional de Belas Artes - SNBA do Rio de Janeiro. Retorna ao Brasil em 1919 e passa a expor em Pelotas, Porto Alegre e Rio de Janeiro, onde se radica no ano seguinte. Como participante do SNBA, é premiado em 1916 com medalha de bronze, em 1917 e 1919 com medalhas de prata, e em 1922 com medalha de ouro. Entre 1927 e 1930, viaja novamente à Europa mostrando suas obras em Lisboa, Porto e Paris. Participa de diversas edições do Salão Paulista de Belas Artes, no qual é premiado em 1938 e 1939. Em 1949, Gotuzzo torna-se patrono da Escola de Belas Artes de Pelotas e, em 1955, a instituição cria um salão de arte com seu nome. Após sua morte, em 1983, a Universidade Federal de Pelotas - UFPel recebe sua coleção de quadros e desenhos, legados em testamento. Em 1986, é inaugurado o Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo - Malg nessa universidade.

Comentário crítico
Após uma estada na Europa, estudando na Itália, Espanha e França, entre 1909 e 1918, o pintor Leopoldo Gotuzzo retorna ao Brasil em 1918, e expõe retratos e pinturas de costumes, como Moça Vestida de Preto (s.d.). Os críticos destacam, em suas obras, o desenho apurado e o uso refinado da cor e da luz, como no Retrato de Dora Gotuzzo (s.d.), irmã do artista. Já Repouso (1916) apresenta o nu feminino tratado de forma realista, destacando-se o uso controlado da gama cromática, como também pode ser observado em Almofada Amarela (1923), obra em que a personagem revela grande sensualidade.

Em pinturas como Paisagem do Centro do Rio de Janeiro, Vista de Santa Teresa (1936), o artista explora o contraste entre os grandes edifícios, então em menor número no centro da cidade, e o casario. Revela grande simplificação formal, que pode ser percebida também em Ponte de Marília, Ouro Preto (1942). Já em Entrada do meu Jardim (1954), pode-se observar o desenho cuidadoso que estrutura a composição e o uso de pinceladas largas e empastadas.

A produção de desenhos de Gotuzzo, constituída em sua maioria de retratos, apresenta traços rápidos e precisos, revelando momentos de maior ou menor acabamento das figuras. Ao longo de sua carreira, o artista mantém-se à margem das inovações da arte no país, tanto do modernismo quanto das tendências ligadas à abstração, permanecendo fiel a uma concepção mais tradicional da pintura.

Outras informações de Leopoldo Gotuzzo:

  • Outros nomes
    • Leopoldo Gotuzzo
    • L. Gotuzzo
  • Habilidades
    • desenhista
    • pintor retratista

Obras de Leopoldo Gotuzzo: (3) obras disponíveis:

Exposições (56)

Todas as exposições

Eventos relacionados (1)

Fontes de pesquisa (16)

  • ACQUARONE, Francisco; VIEIRA, Adão de Queiroz. Primores da pintura no Brasil. 2.ed. [Rio de Janeiro]: [s.n.], 1942. [145] p., v. 1. LIV-G 759.981 A186p 2.ed. v.1
  • ACQUARONE, Francisco; VIEIRA, Adão de Queiroz. Primores da pintura no Brasil. 2.ed. [Rio de Janeiro]: [s.n.], 1942. [315] p., 2 v.
  • ARTE no Brasil. Apresentação de Pietro Maria Bardi e Pedro Manuel. São Paulo: Abril Cultural, 1979.
  • ARTE no Brasil. São Paulo: Abril Cultural, 1979. v. 1, 556 p., il. color. 709.81 A163ar v.1
  • AYALA, Walmir (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1980. v.4: Q a Z. (Dicionários especializados, 5).
  • AYALA, Walmir. Dicionário de pintores brasileiros. Organização André Seffrin. 2. ed. rev. e ampl. Curitiba: Ed. UFPR, 1997. 428 p. R750.81 A973d 2.ed.
  • BRAGA, Theodoro. Artistas pintores no Brasil. São Paulo: São Paulo Editora, 1942. 251 p. R703.0981 B813a
  • BRAGA, Theodoro. Artistas pintores no Brasil. São Paulo: São Paulo Editora, 1942. 251 p.
  • CAVALCANTI, Carlos (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1974. v.2: D a L. (Dicionários especializados, 5). R703.0981 C376d v.2 pt. 1
  • EXPOSIÇÃO INAUGURAL DO MUSEU DE ARTE LEOPOLDO GOTUZZO. Pelotas: Universidade Federal de Pelotas, 1986. 1 folder, il. color. Não catalogado
  • FREIRE, Laudelino. Um século de pintura: apontamentos para a história da pintura no Brasil de 1816-1916. Rio de Janeiro: Fontana, 1983. 677 p. 759.981034 F866u
  • FREIRE, Laudelino. Um século de pintura: apontamentos para a história da pintura no Brasil de 1816-1916. Rio de Janeiro: Fontana, 1983. 677 p.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988. 555 p. R759.981 L533d
  • PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Texto Mário Barata, Lourival Gomes Machado, Carlos Cavalcanti et al. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969. 559 p. R703.0981 P818d
  • RUBENS, Carlos. Pequena história das artes plásticas no Brasil. São Paulo: Editora Nacional, 1941. 388 p. (Brasilian. Série 5ª: biblioteda pedagógica brasileira, 198). 709.81 R895p Ed. ilust.
  • RUBENS, Carlos. Pequena história das artes plásticas no Brasil. São Paulo: Editora Nacional, 1941. 388 p. (Brasilian. Série 5ª: biblioteda pedagógica brasileira, 198).

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • LEOPOLDO Gotuzzo. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa10135/leopoldo-gotuzzo>. Acesso em: 21 de Nov. 2017. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7