Artigo da seção pessoas Angelo Venosa

Angelo Venosa

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deAngelo Venosa: 14-08-1954 Local de nascimento: (Brasil / São Paulo / São Paulo)
Imagem representativa do artigo

Sem Título , 1994 , Angelo Venosa
Registro fotográfico João Bosco

Biografia

Ângelo Augusto Venosa (São Paulo, São Paulo, 1954). Escultor. Freqüenta a Escola Brasil, em São Paulo, em 1973. No ano seguinte, transfere-se para o Rio de Janeiro, onde estuda na Escola Superior de Desenho Industrial (Esdi), e concluí o curso em 1977. No início da década de 1980, realiza cursos no ateliê livre da Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV/Parque Lage). Em 1984, passa a realizar obras tridimensionais. As esculturas do início dos anos 1980 associam indistintamente materiais naturais e produtos industrializados. A partir do início dos anos 1990, o artista utiliza materiais como mármore, cera, chumbo e dentes de animais, realizando obras que lembram estruturas anatômicas, como vértebras e ossos. Suas esculturas e objetos carregam indícios que remetem a eras ancestrais, surpreendendo pela estranheza e pelo caráter inquietante.

Análise

Angelo Venosa é um dos poucos artistas dedicados à escultura egressos da chamada Geração 80. Inicia a carreira artística participando de significativas exposições como Pintura! Pintura! no Rio de Janeiro. Em 1984, faz suas primeiras incursões ao universo do tridimensional. Sobre o trabalho com a escultura e o abandono da pintura, o artista declara: "Foi com a pintura que comecei minha disciplina de trabalho. (...) A passagem para escultura foi um rompimento com o que eu considerava a linguagem por excelência (a pintura) e a descoberta de que era possível criar um trabalho pessoal, com meus próprios meios".1

As obras realizadas no período apresentam um amálgama de materiais díspares, sem distinção entre elementos da natureza e produtos da indústria: estruturas de madeira ou galhos de árvore são em geral revestidos ou unidos a tecidos, borracha, fibra de vidro, bandagem gessada, piche etc., criando formas a situadas entre o orgânico e o artificial, a figura e o disforme. As estruturas tridimensionais de Venosa exploram uma horizontalidade pouco usual na escultura brasileira.

No início dos anos 1990, o artista incorpora materiais como cera, chumbo, mármore e dentes de animais à sua obra, ao mesmo tempo que passa a trabalhar com figuras reconhecíveis como vértebras e ossos. Suas peças tornam-se menores e surpreendem mais pela estranheza e caráter inquietante do resultado (como o conjunto circular formado por ossos esculpidos em mármore ou a grande peça em forma de fêmur composta de 142 anéis de aço empilhados) do que por sua ocupação espacial. Nessa mimese do mundo animal, a "forma de osso se torna arbitrária, e revela a fragilidade da distinção entre orgânico e inorgânico",2 mantendo o contraste entre organicidade e formalização presente nos trabalhos da década anterior.

A manipulação de materiais em camadas para construção de suas formas passa a ser a tônica de seus trabalhos mais recentes, como as esculturas em lâminas de vidro. Nelas a clareza da estrutura é confrontada à forma final. Com uma intervenção urbana no evento Arte/Cidade/Zona Leste, em 2002, Angelo Venosa reitera seu interesse pela polarização organização/desorganização, ao pendurar nas estruturas metálicas do teto de um antigo galpão ferroviário cordas que mimetizam o esqueleto arquitetônico do galpão. Tal ação, em vez de enfatizar a estrutura original, a liquefaz e estabelece em seu lugar uma geometria maleável, que em seu dinamismo poderia apontar para a falta de estruturação fixa da cidade de São Paulo.

 

Notas
1 Depoimento do artista a Marcio Doctors. In: No Ateliê da Lapa. Rio de Janeiro: 1986.
2 MAMMÌ, Lorenzo. Angelo Venosa. São Paulo: Galeria Camargo Vilaça, 1994.

Outras informações de Angelo Venosa:

  • Outros nomes
    • Angelo Augusto Venosa
  • Habilidades
    • designer
    • desenhista
    • escultor

Obras de Angelo Venosa: (33) obras disponíveis:

Todas as obras de Angelo Venosa:

Midias (1)

Ângelo Venosa - Enciclopédia Itaú Cultural
Ângelo Venosa é um dos poucos artistas da chamada Geração 80 que se dedica à escultura, e não à pintura. Para ele, o ideal de realização artística seria a possibilidade de desenhar no ar, de forma tridimensional. É em busca dessa meta inatingível que sua obra se desenvolve. Venosa afirma que a criação nem sempre acontece de forma clara e linear. “É como se você se orientasse pelo olfato que, no meu caso, é um sentido meio ‘cego’, meio bobo. Você consegue se identificar, mas não tem uma clareza cristalina da visão”, conta. As referências que o artista acumulou ao longo de sua trajetória, seus interesses pessoais e sua própria história de vida são o fio condutor de sua obra, funcionam como alimento de sua criação. “Essas coisas fazem uma espécie de arcabouço e delimitam o modo de agir, o teu repertório de interesses, tuas ferramentas, não só as literais, como as mentais”, afirma o artista.

Produção: Documenta Vídeo Brasil
Captação, edição e legendagem: Sacisamba
Intérprete: Carolina Fomin (terceirizada)
Locução: Júlio de Paula (terceirizado)

Exposições (166)

Artigo sobre A Nova Dimensão do Objeto

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de inícioA Nova Dimensão do Objeto : 09-1986  |  Data de término | 10-1986
Resumo do artigo A Nova Dimensão do Objeto :

Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC/USP)

Todas as exposições

Eventos relacionados (7)

Artigo sobre sp-arte 2010

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de iníciosp-arte 2010: 29-04-2010  |  Data de término | 02-05-2010
Resumo do artigo sp-arte 2010:

Fundação Bienal de São Paulo

Artigo sobre sp-arte 2011

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de iníciosp-arte 2011: 12-05-2011  |  Data de término | 15-05-2011
Resumo do artigo sp-arte 2011:

Fundação Bienal de São Paulo

Fontes de pesquisa (20)

  • ANGELO Venosa / Paulo Pasta. Belo Horizonte: Celma Albuquerque Galeria de Arte, 2000. [16 p.], il. color.
  • BIENAL BRASIL SÉCULO XX, 1994, São Paulo, SP. Bienal Brasil Século XX: catálogo. Curadoria Nelson Aguilar, José Roberto Teixeira Leite, Annateresa Fabris, Tadeu Chiarelli, Maria Alice Milliet, Walter Zanini, Cacilda Teixeira da Costa, Agnaldo Farias. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1994.
  • BIENAL INTERNACIONAL DE SÃO PAULO, 19., 1987, SÃO PAULO, SP. Catálogo geral. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1987.
  • BRITO, Ronaldo. Singulares e Equívocas. In: Ângelo Venosa. São Paulo: Subdistrito Comercial de Arte, 1986.
  • CHIARELLI, Tadeu. Ângelo Venosa. In: ______. Arte internacional brasileira. São Paulo: Lemos, 1999. 311 p., il. color.
  • CHIARELLI, Tadeu. Mostra revela maturidade de Angelo Venosa. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 06 out. 1994. Caderno 2, p. D12.
  • DOCTORS, Márcio. No ateliê da Lapa. Rio de Janeiro: 1986.
  • EIXO curatorial 98: catálogo impresso. Concepção Ricardo Ribenboim, Ricardo Anderáos; edição Jesus de Paula Assis; design Rodney Schunck. 1998. São Paulo: Itaú Cultural, 1998. 59 p., il. 1 CD-ROM.
  • FARIAS, Agnaldo. Pontos cardeais de Veneza. Guia das Artes, São Paulo, ano 7, n. 32, p. 11-13, jun./jul. 1993.
  • HIRSZMAN, Maria. A sedução e o risco na arte de Ângelo Venosa. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 03 mai. 2002.
  • MAMMÍ, Lorenzo. Ângelo Venosa. São Paulo: Galeria Camargo Vilaça, 1994. folha dobrada.
  • MODERNIDADE: arte brasileira do século XX. Curadoria Aracy Amaral, Frederico Morais, Roberto Pontual, Marie-Odile Briot. São Paulo: MAM; Paris: Musée d'Art Moderne de la Ville de Paris, 1988.
  • OLIVA, Achille Bonito. Frida Baranek, Ivens Machado, Milton Machado, Daniel Senise, Ângelo Venosa. Roma: SALA 1, out/nov 1990.
  • PERFIL da Coleção Itaú. Curadoria Stella Teixeira de Barros. São Paulo: Itaú Cultural, 1998.
  • TRIDIMENSIONALIDADE: arte brasileira do século XX. Texto Annateresa Fabris, Fernando Cocchiarale, Celso Favaretto, Tadeu Chiarelli, Frederico Morais; apresentação Ricardo Ribenboim; colaboração Annateresa Fabris, Tadeu Chiarelli. São Paulo: Itaú Cultural: Cosac & Naify, 1999. 264 p. 
  • VENÂNCIO, Paulo. Ângelo Venosa. Galeria Revista de Arte. São Paulo,  n. 26, p.74, jul./ago. 1991.
  • VENOSA, Angelo. Angelo Venosa. Rio de Janeiro: Funarte, 1989. , il. color.
  • VENOSA, Angelo. Angelo Venosa. Rio de Janeiro: Galeria de Arte Centro Empresarial Rio, 1986. , il. p&b. 
  • VENOSA, Angelo. Angelo Venosa. Tradução Geoffrey LLoyd Gilbert. São Paulo: Subdistrito Comercial de Arte, 1987. folha dobrada, il.
  • VENOSA, Angelo. XLV Biennale di Venezia - Angelo Venosa: Angelo Venosa. Tradução Stephen Berg. São Paulo: Galeria Camargo Vilaça, 1993. 24 p., il.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • ANGELO Venosa. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa10099/angelo-venosa>. Acesso em: 19 de Dez. 2018. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7