Artigo da seção pessoas Regina Vater

Regina Vater

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deRegina Vater: 1943 Local de nascimento: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)
Imagem representativa do artigo

Água (detalhe) , 1993 , Regina Vater
Registro fotográfico do artista

Regina Maria da Motta Vater (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1943). Artista multimídia, curadora e escritora. Sua extensa produção, de natureza transmidiática e polissêmica, transita entre as novas figurações dos anos 1960, a arte conceitual e as experiências relacionais, construindo uma poética singular nas conexões entre arte e cultura, natureza e técnica.

Estuda desenho com o pintor e desenhista Frank Schaeffer (1917-2008) entre 1958 e 1962. Ingressa na Faculdade Nacional de Arquitetura em 1961 (FAU-UFRJ), e prossegue os estudos com o pintor Iberê Camargo (1914-1994), entre 1962 e 1965, marcando profundamente sua formação. Os primeiros trabalhos de Regina Vater partem de uma investigação mais intimista das formas e caminham para a intensidade cromática das novas figurações pictóricas e do movimento tropicalista. 

Na década de 1970, experimenta processos criativos situados entre a performance e a instalação. Em Magi(o)cean (1970), experiência realizada na Praia da Joatinga, no Rio de Janeiro, signos de diferentes devoções ocupam um mesmo território: uma escultura de Nossa Senhora Aparecida, sincretizada com Oxum, é posta no topo de uma escadaria de areia. Nos degraus inferiores, são colocados a estátua de São Jorge representado como Ogum e um menino Jesus e as plantas que formam sua manjedoura. O oceano completa a ação da obra, que, em sua natureza efêmera, é levada pela maré como uma oferenda, restando apenas registros fotográficos.

Nas pinturas de fins dos anos 1960, figuras sem rostos ou mãos compõem paisagens acentuadamente tropicais, que fundem atmosferas quase metafísicas à plasticidade pop. A dessubjetivação dos corpos femininos que nelas se observa é intensificada nos experimentos que Regina realiza sobre as possibilidades plásticas e semânticas dos nós. Cordas são impressas ou pintadas sobre suportes prosaicos, como sacos descartáveis, e as pinturas que compõem o tríptico Nós, obra que lhe rende o prêmio de viagem do 7º Salão Nacional de Arte Moderna, em 1972. No tríptico, os corpos são ainda mais fragmentados e objetificados pelo impedimento conferido pelas cordas e pelos índices formais de uma geometria esfacelada que, em cores nacionais, metaforizam a condição do país. As cordas protagonizam também o Evento dos Nós (1973), experimento no qual os participantes atam e desatam nós em uma praça pública no Rio de Janeiro, ao mesmo tempo que refletem sobre seus significados, sejam eles metáforas de prisão ou dos laços interpessoais. 

Entre 1973 e 1975, mora em Nova York e Paris, e realiza uma série de cartões postais sobre camas de hotéis. Em Parisse 2 (1974-1975), a fotografia da cama em desalinho no quarto pouco iluminado transmite ao destinatário a experiência da viagem. A série Postalixo: land(e)scape (1974) revela o lado oposto dos cartões postais: os resíduos do consumo nas grandes cidades. Em Luxolixo (1973), audiovisual que reverbera o impacto de Regina Vater com o poema visual homônimo (1965) de Augusto de Campos (1931), o luxo das ruas de Manhattan é contraposto ao lixo produzido pela cidade, ao som turbulento de aparelhos eletrônicos que concorrem com a leitura de Hélio Oiticica (1937-1980) de um poema de Vater.

No álbum Tina América (1975), Regina é fotografada nos papéis de dona de casa, intelectual, guerrilheira etc., que falam tanto da diversidade cultural latino-americana quanto dos estereótipos de feminilidade. Seus livros de artista indagam a identidade individual, coletiva, e a relação entre arte e público, como em O que É Arte? São Paulo Responde (1978), que reúne as respostas de visitantes do Teatro Municipal à pergunta “o que é arte?”.

Em 1980, recebe bolsa da Fundação Guggenheim e passa a se dedicar ao estudo da instalação. O movimento ecológico e o sincretismo de mitos amazônicos e europeus permeiam obras como Yauti Marandua (1979). Muitas de suas instalações colocam-se além das artificiais oposições entre natureza e cultura, em claro desejo de fusão entre arte e vida, na esteira de algumas formulações neoconcretistas. Com base no uso popular da planta comigo-ninguém-pode como amuleto na entrada de residências e estabelecimentos, Regina realiza a instalação Comigo Ninguém Pode (1984), em que a planta é cercada por enormes faixas com fotografias 3 x 4 de desconhecidos, que a encaram e reiteram silenciosamente a afirmação “comigo ninguém pode”. Diferentes culturas visuais e temporalidades cruzam-se também na série fotográfica Nature-Morte (1987), composta de oferendas a divindades afro-brasileiras, criadas com materiais encontrados nas praias cariocas, aproximando a tradição pictórica da natureza morta aos arranjos de função ritual. 

Como pensadora da arte contemporânea, seus textos e curadorias das mostras Brazilian Works on Paper: 49 artists, em Nova York (1979), e Brazilian Visual Poetry, no Mexic-Arte Museum, em Austin, no Texas (2002), tornam a arte brasileira mais conhecida no exterior. A palavra escrita ou falada é matéria-prima fundamental na criação de sentidos que evidenciam a natureza poética de seus trabalhos. Na web instalação Desire (2010-2012), a decomposição de uma maçã, carimbada com as palavras Desire e Desejo, é transmitida por uma câmera, e o observador é convidado a acompanhar a morte desse desejo e a produzir poemas que são exibidos em um site e no espaço expositivo.

Autora de uma de produção que amplia os limites da arte em diferentes direções, o pensamento poético de Regina Vater articula experimentação estética, cultura popular e tecnologia para a criação de novos sentidos e experiências.

Outras informações de Regina Vater:

  • Outros nomes
    • Regina Maria da Mota Vater
    • Regina Váter
    • Regina Maria da Motta Vater
  • Habilidades
    • Curador
    • Pintor
    • Arquiteto
    • Desenhista
    • Fotógrafo
    • Artista multimídia
    • Escritora

Obras de Regina Vater: (19) obras disponíveis:

Exposições (191)

Artigo sobre 1ª Jovem Arte Contemporânea

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de início1ª Jovem Arte Contemporânea: 20-09-1967  |  Data de término | 19-10-1967
Resumo do artigo 1ª Jovem Arte Contemporânea:

Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC/USP)

Artigo sobre 4ª Jovem Arte Contemporânea

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de início4ª Jovem Arte Contemporânea: 18-11-1970  |  Data de término | 20-12-1970
Resumo do artigo 4ª Jovem Arte Contemporânea:

Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC/USP)

Todas as exposições

Eventos relacionados (1)

Fontes de pesquisa (34)

  • OBJETO na arte: Brasil anos 60. Coordenação Daisy Valle Machado Peccinini de Alvarado. São Paulo: FAAP, 1978.
  • ALZUGARAY, Paula. Regina Vater: Quatro Ecologias. Site Oficial. Texto para a exposição homônima, realizada no Oi Futuro Flamengo-RJ, entre 22 de maio a 15 de julho de 2012. Disponível em: http://paulalzugaray.com/regina-vater-quatro-ecologias/. Acesso em: 22 jun. 2020.
  • ARTE conceitual e conceitualismos: anos 70 no acervo do MAC USP. Curadoria Cristina Freire; versão em inglês Elizabeth Bjorkstrom Moraes, Thomas Karsten. São Paulo: MAC/USP, 2000
  • BEIGUELMAN, Giselle. As quatro ecologias de Regina Vater. Select, São Paulo, v. 2, n. 5, abr./maio 2012, p. 28. Disponível em: https://www.select.art.br/edicao/edicao-5/. Acesso em: 11 dez. 2020.
  • BIENAL Nacional de São Paulo (1976): Catálogo geral. Apresentação Oscar P. Landmann. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1976. 192p. il. p. b. foto.
  • BRETT, Guy. Brasil experimental: arte/vida, proposições e paradoxos. [S.l.]: Contra Capa, 2005.
  • BRETT, Guy. Licença Poética. In: VATER, Regina. Quatro Ecologias. 1. ed. Catálogo de exposição. Rio de Janeiro: F10 Editora; Oi Futuro, 2013.
  • CONVIV'ART GELARIA (NATAL, RN), ARAÚJO, Avelino de (org.), PAULINO, Bianor (org.). Mostra Nacional de Poesia Visual. Texto Ilza Matias de Sousa, Vicente Vitoriano, Anchieta Fernandes. Natal, 1995. s. p. il. p. b.
  • GRUPO de Estudos em Arte Conceitual e Conceitualismos no Museu (GEACC). Terra Brasilis: arte brasileira no acervo conceitual do MAC USP. São Paulo: MAC USP, 2019. (MAC essencial, 9).
  • GULLAR, Ferreira (et. al). 150 anos de pintura no Brasil: 1820-1970. Rio de Janeiro: Colorama, 1989. R703.0981 P818d
  • GULLAR, Ferreira (et. al). 150 anos de pintura no Brasil: 1820-1970. Rio de Janeiro: Colorama, 1989.
  • HIRZMANN, Maria. Exposição apresenta a diversidade e pluralidade da produção feminina. ARTE!Brasileiros, São Paulo, 24 set. 2019. Disponível em: https://artebrasileiros.com.br/arte/exposicoes/exposicao-apresenta-a-diversidade-e-pluralidade-da-producao-feminina/. Acesso em: 29 jun. 2020.
  • LATIN american drawings from the Barbara Duncan Collection. Austin: The University of Texas at Austin. Archer M. Huntington Art Gallery, 1988.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • OLIVEIRA, Alecsandra M. de. Regina Vater e a série “Nature-Morte”. Jornal da USP. 25 out. 2019, Disponível em: https://jornal.usp.br/artigos/regina-vater-e-a-serie-nature-morte/. Acesso em: 19 maio 2020.
  • PALAVRA imágica. Curadoria Betty Leirner, Walter Silveira; introdução Ana Mae Barbosa; texto Lucia Santaella, Betty Leirner. São Paulo: MAC/USP, 1987. [58] p. il. p&b
  • PEDROSA, Adriano; BECHELANY, Camila. Histórias da sexualidade: catálogo. São Paulo: Masp, Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, 2017.
  • PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. Rio de Janeiro: Edições Jornal do Brasil, 1987.
  • REGINA Vater – Nós (1973). [S.l.]: Galeria Jaqueline Martins, [s.d.]. (4 min). Registro da performance do Evento dos Nós (1973) de Regina Vater. Disponível em: https://vimeo.com/294945494. Acesso em: 11 dez. 2020.
  • REGINA Vater/Bill Lunderg: comigo ninguém pode/estrela guia. São Paulo: Galeria SESC Paulista, 1995. il. color.
  • SALÃO DE ARTE CONTEMPORÂNEA DE CAMPINAS, 4., 1968, Campinas, SP. 4º Salão de Arte Contemporânea de Campinas. Campinas: MAC - José Pancetti, 1968.
  • SALÃO NACIONAL DE ARTE MODERNA, 17., 1968, Rio de Janeiro, RJ. XVII Salão Nacional de Arte Moderna: catálogo. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Cultura, 1968.
  • SALÃO NACIONAL DE ARTE MODERNA, 19., 1970, Rio de Janeiro, RJ. XIX Salão Nacional de Arte Moderna: catálogo. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Cultura, 1970.
  • SALÃO NACIONAL DE ARTES PLÁSTICAS, 6. , Rio de Janeiro, 1983. Arte Moderna no Salão Nacional - 1940 a 1982. Rio de Janeiro: FUNARTE, 1983. (Sala Especial do VI Salão Nacional de Artes Plásticas).
  • THE LATINA Collective. Regina Vater. Heresies: A Feminist Publication on Arts & Politics. v. 7, n. 3 (27), 1993. Disponível em: https://jstor.org/stable/10.2307/community.28038325. Acesso em: 14 jun. 2020.
  • TRIZOLI, Talita. Trajetórias de Regina Vater. Por uma crítica feminista da arte brasileira. Dissertação (Mestrado) – Programa Interunidades de Estética e História da Arte da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. p. 288.
  • VATER, Regina. Civilidades da selva: mitos e iconografia indígenas de Regina Váter. Apresentação Ana Mae Barbosa; curadoria Rejane Cintrão. São Paulo: MAC/USP, 1988. folha dobrada 1 il. p. b.
  • VATER, Regina. Retrotempo. Apresentação Esther Emilio Carlos; tradução Esther Stearns d'Utra e Silva. Rio de Janeiro: Galeria de Arte do Ibeu, 1995. [16] p., il., p&b color.
  • VATER, Regina. Veart. Apresentação Hélio Oiticica; direção Raquel Arnaud. São Paulo: Galeria Arte Global, 1978. [12p. ]: il. p. b.
  • VATER, Regina. Introduction to a special issue on Latin American artists. Flue. Franklin Furnace, New York, v. 3, issue 2, spring 1983.
  • VATER, Regina. [Regina Vater 99.2]. Texto Laura Cottingham. San Antonio: Artpace, A Foundation for Contemporay Art, 1999. folha dobrada, il. p&b color.
  • VOICES and visions. Curadoria Sylvia Orozco; texto Guy Brett, Regina Vater, Augusto de Campos, Sylvia Orozco. Austin: Mexic-Arte Museum, 1997. [12] p., il., p&b.
  • YAMAGISHI, Harumi (org. ). Foto/Idéia. Texto Harumi Yamagishi. São Paulo: MAC, 1987. 63p. il. , p. b.
  • ZANINI, Walter (Org). História geral da arte no Brasil. Apresentação de Walther Moreira Salles. São Paulo: Instituto Walther Moreira Salles: Fundação Djalma Guimarães, 1983.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • REGINA Vater. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2021. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa10098/regina-vater>. Acesso em: 02 de Mar. 2021. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7