Artigo da seção grupos Companhia dos Comuns

Companhia dos Comuns

Artigo da seção grupos
Teatro  
Data de criação da obra Companhia dos Comuns: 2001 Local de crição: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)

Histórico

Tomando como referência o Teatro Experimental do Negro - TEN, a companhia fundada por Hilton Cobra é formada por atores negros e trata da inserção do negro na cultura brasileira, em textos de criação coletiva, com direção do baiano Marcio Meirelles.

O espetáculo de estréia, A Roda do Mundo, 2001, baseia a linguagem corporal na dança e na capoeira para tratar do racismo. A crítica Barbara Heliodora, de O Globo, abre seu texto dizendo que "há algumas décadas que o teatro não apresenta contestação tão violenta", e analisa: "O objetivo do grupo é trazer para o teatro brasileiro o universo do negro, 'discutindo e propondo uma nova consciência que garanta seu crescimento pessoal, intelectual e profissional'. Dificilmente algum objetivo poderia ser mais digno de apoio e aplauso. (...) Visualmente, o espetáculo é muito atraente: a simples solução cenográfica de Marcio Meirelles e Biza Vianna e os bonitos figurinos desta última, que são muito teatrais sem deixar de falar da pobreza, assim como a luz de Jorginho de Carvalho e a coreografia de José Carlos Arandiba, são muito bem utilizados pelo diretor Marcio Meirelles dando fluência e boa comunicação. (...) A bela linguagem da capoeira, no entanto, não se apresenta senão como seu valor em si, jamais como metáfora dos episódios dramatizados. O conjunto do elenco atua com desenvoltura, dança bem e está obviamente engajado, e de forma profunda, com a mais que justa contestação - sendo de lamentar apenas os vários momentos em que o tom se torna descontroladamente agressivo. Trata-se de um espetáculo que tem qualidades, mas resulta bastante confuso em seus objetivos".1

Em seguida, a companhia encena Candaces - A Reconstrução do Fogo, 2003, nova criação coletiva com direção de Marcio Meirelles, que faz um paralelo entre as ancestrais guerreiras africanas e a luta das mulheres negras contemporâneas. Depois de duas temporadas, o espetáculo se apresenta no Theatro Municipal, comemorando o Dia Nacional da Consciência Negra. Em 2005, estréia Bakulo - Os Bem Lembrados, criação coletiva baseada principalmente no livro Por uma Outra Globalização, de Milton Santos, em que nove atores e cinco músicos propõem a discussão da cultura e da globalização. A crítica Barbara Heliodora escreve: "O didatismo, desta vez, é declarado ao ponto de o espetáculo ser composto pela apresentação da leitura de uma série de panfletos, seguida de episódios que seriam ilustrativos da influência dos 'ancestrais' (significado exato da palavra 'bakulo'). (...) A condenação da atual cultura ocidental é radical, a dramaturgia tem a obviedade e o primarismo propositado do antigo engajamento, com orientação política que tem muito de saudosista, sendo que até mesmo a aquisição de um doutoramento em universidade é vista como uma traição à cultura dos antepassados. (...) A cenografia, de Marcio Meirelles, é simples, basicamente composta por elementos retangulares de madeira que servem como banco, como pedestal, ou o que quiserem, e os figurinos de Biza Vianna são todos brancos, bustos nus, calças/saias brancas com largos panejamentos igualmente brancos na frente e nas costas, que permitem belas composições. Paletós brancos indicam ocidentalização. A luz de Jorginho de Carvalho é bonita e funcional, e a direção musical de Jarbas Bittencourt (como a preparação vocal de Agnes Moço e Carolina Futuro) fazem uma notável contribuição ao espetáculo. A coreografia de Zebrinha, a preparação corporal de Denis Gonçalves e a preparação de dança afro de Valéria Mona são todas de alta qualidade. (...)".2

Em novembro de 2006, a companhia se apresenta novamente no Theatro Municipal, levando Bakulo - Os Bem Lembrados à comemoração do Dia Nacional da Consciência Negra.

Notas

1. HELIODORA, Barbara. Contestação no universo do negro, O Globo, Rio de Janeiro, 30 nov. 2001.

2. HELIODORA, Barbara. Panfletagem no palco não ajuda espetáculo, O Globo, Rio de Janeiro, 16 set. 2005.

Outras informações do grupo Companhia dos Comuns:

  • Outros nomes
    • Cia dos Comuns
  • Relações com outros artigos da enciclopédia:

Fontes de pesquisa (3)

  • HELIODORA, Barbara. Contestação no universo do negro, O Globo, Rio de Janeiro, 30 nov. 2001.
  • HELIODORA, Barbara. Panfletagem no palco não ajuda espetáculo, O Globo, Rio de Janeiro, 16 set. 2005.
  • SANTOS, Valmir. Atores encenam o espetáculo "Bakulo - Os Bem Lembrados", da Companhia dos Comuns, do Rio, Folha de S.Paulo, São Paulo, 16 mar. 2006, Caderno Ilustrada, p.4.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • COMPANHIA dos Comuns. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/grupo467058/companhia-dos-comuns>. Acesso em: 16 de Dez. 2017. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7