Artigo da seção grupos Banduendes Por Acaso Estrelados

Banduendes Por Acaso Estrelados

Artigo da seção grupos
Teatro  

Histórico

Descendente direto do grupo Asdrúbal Trouxe o Trombone, privilegia a criação coletiva a partir da improvisação dos atores.

Patrícia Travassos e Evandro Mesquita, ex-integrantes do Asdrúbal, reúnem um núcleo de atores a partir de uma oficina realizada em 1981. No ano seguinte, A Incrível História de Nemias Demutcha, escrito com a colaboração de Chacal, estréia no então nascente Circo Voador, lona montada na Praia do Arpoador em pleno verão carioca. O crítico Macksen Luiz, identificando elementos semelhantes a um conjunto de espetáculos em cartaz, considera que o texto parece brotar do consenso dos 25 envolvidos no projeto e analisa a linguagem do Banduendes:

"A juventude da maioria (em torno de 18 anos) impeliu a ingênua narrativa do herói Demutcha, que sai pelo mundo à procura de aventuras, a esquecer um tanto a história para criar apenas situações, momentos, que sejam expressão de uma cultura fortemente inspirada no visual da televisão, do cinema-aventura e no som do rock, da Jovem Guarda aos Beatles. A comunicação não necessita ser somente a verbal, tanto que num diálogo Demutcha conversa com um saxofone, a mímica de uma jovem dançando numa festinha é mais expressiva que o que é dito à sua volta ou ainda num jogo de futebol os diversos lances são expressos com o corpo. Esse descompromisso com a palavra e a adesão ao mundo do consumismo faz com que espetáculos como esse não pretendam dizer nada além do que registram as imagens brincalhonas postas em cena. E fica muito divertido para a platéia descobrir que tudo é passível de ser caricaturado. Como por exemplo a frieza das aeromoças numa viagem aérea. O ridículo dos gestos de uma pessoa num dentista. Os números pomposos dos circos. Mas não se arranha nenhuma crítica mais contundente ou mesmo a ridicularização de costumes familiares ou escolares, que fazem parte do mundo mais próximo do elenco".1

Em 1983 e 1984, sem criar um espetáculo novo, o grupo participa com performances e pequenas cenas de shows da banda Blitz, liderada por Evandro Mesquita. A expectativa dos líderes do grupo, de se tornar um sucesso semelhante ao da banda que é moda no Rio de Janeiro do período, não chega a acontecer. No segundo e último espetáculo, Entre Hoje e Amanhã, de 1985, o texto escrito por Patrícia Travassos com o grupo é dirigido a seis mãos pela autora junto com Evandro Mesquita e o diretor convidado Zdenek Hampl. Na opinião do crítico do Jornal do Brasil, o título do espetáculo traduz uma crise dos Banduendes, que "estão isolados num tempo indefinido, sem identidade",2 tentando repetir, sem a mesma juventude, a vitalidade e a criatividade do primeiro espetáculo ao mesmo tempo sem apontar para nada de novo.

A linguagem de interpretação do grupo faz do ator o personagem e, por meio dessa transposição, cria cenas que surgem da exposição da própria pessoa em sala de ensaio. Esse procedimento caracteriza muitos dos espetáculos de jovens atores no início dos anos 80, em grande parte influenciados pelo grupo Asdrúbal Trouxe o Trombone.

Evandro Mesquita, integrante do Asdrúbal e "pai"do Banduendes relembra: "O Asdrubal deu cursos de teatro para oxigenar o próprio grupo. E eu e a Patrícia ficamos com um grupo... Pessoas diferentes entre si, com informações de vida e de teatro bem distintas. Tinha anã, gêmeas, pessoas de circo, leigos, dondocas, estudantes, operários enfim uma fauna completa. mas no segundo olhar já haviam nos conquistados pela disponibilidade e entrega aos exercícios propostos por nós. No final do curso fazíamos apresentações, para amigos, namorados(as) e para os outros grupos. Fomos costurando os exercícios que deram no espetáculo A Incrível História de Nemias Demutcha. E eu e Patrícia ficamos muito orgulhosos do espetáculo e do nosso grupo, que foi o único do curso do 'Asdrúbal' a ter vida longa. Tínhamos colocado neles a semente do 'faça você mesmo', e eles se organizaram, começaram a andar com as próprias pernas e alçar vôos próprios... ficaram em cartaz, foram a festivais em outros estados e partiram para a segunda montagem, que foi o Entre Hoje e Amanhã. Nesse eu cheguei no final e meti umas poucas colheradas. Mas até hoje me lembro com orgulho e carinho daquele grupo e com uma ponta saudade bato naquela tecla do : já não fazem mais grupos como os de antigamente".3

Notas

1. LUIZ, Macksen. Cenas juvenis. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 18 set. 1982.

2. LUIZ, Macksen. Cenas juvenis. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 18 set. 1982.

3. MESQUITA, Evandro: Declaração sobre Banduendes enviada por e-mail para a Enciclopédia. Rio de Janeiro, 17 de novembro de 2003.

Espetáculos (4)

Fontes de pesquisa (3)

  • BANDUENDES Por Acaso Estrelados. Rio de Janeiro: Funarte / Cedoc. Dossiê Grupos Teatro Adulto.
  • LUIZ, Macksen. Cenas juvenis. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 18 set. 1982.
  • LUIZ, Macksen. Crise de crescimento. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 14 mar. 1985.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • BANDUENDES Por Acaso Estrelados. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/grupo399392/banduendes-por-acaso-estrelados>. Acesso em: 21 de Jul. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7
abrir pesquisa
;