Artigo da seção eventos Nick Bar... Álcool, Brinquedos, Ambições

Nick Bar... Álcool, Brinquedos, Ambições

Artigo da seção eventos
Teatro  
Data de inícioNick Bar... Álcool, Brinquedos, Ambições: 08-06-1949 | Data de término: 10-07-1949
Local de realização: (Brasil / São Paulo / São Paulo) | Instituição de realização: Teatro Brasileiro de Comédia (TBC)
Tipo do evento: espetaculo

Histórico

Montagem que marca o ingresso do Teatro Brasileiro de Comédia em sua fase profissional, conta com a direção de Adolfo Celi, primeiro encenador italiano contratado para a direção artística da companhia.

Escrita em 1939 por William Saroyan, The Time of Our Life recebe o título brasileiro completo de Nick Bar...Álcool, Brinquedos, Ambições, em referência ao ambiente em que se passa a ação: um bar próximo ao cais do porto de San Francisco, Estados Unidos, onde se reúnem fracassados, desesperançados, marginais e vagabundos de diversas espécies.

Enfocando as conseqüências do entreguerras e o clima vivido no período da Depressão, o autor situa, em tom lírico, essa pequena população descrente da vida. Permite, ainda por meio de estereótipos, retratar um microcosmo da vida americana do período. Celi havia montado o texto na Itália antes de sua vinda ao Brasil e, a partir dele, de certo modo, estabelece o padrão que o Teatro Brasileiro de Comédia - TBC, segue nos anos subseqüentes: um texto interessante, capaz de criar oportunidade para interpretações marcantes, reunindo num ambiente levemente exótico um punhado de figuras humanas assinaladas por algum traço característico.

Cacilda Becker vive Kitti Duval, secundada por Maurício Barroso, Fredi Kleemann, Carlos Vergueiro, Madalena Nicoll, Célia Biar, Marina Freire, Ruy Affonso, Waldemar Wey e vários estreantes, oriundos dos grupos amadores de então.

A cenografia de Aldo Calvo impressiona, ao reconstituir o ambiente degradado do enredo. O grande trunfo da encenação, todavia, é a homogeneidade do elenco, manejando com habilidade as convenções da teatralidade. O crítico Décio de Almeida Prado surpreende com acuidade esta característica ao anotar: "O trabalho dos amadores paulistas já vinha sendo de primeiríssima ordem nestes últimos tempos, mas sempre no sentido da maior naturalidade e discrição possível. Celi modificou ligeiramente tais características, dando ao elenco do TBC um senso de espetáculo, mais teatralidade, uma tonalidade mais agressiva e mais viva, de acordo, aliás, com o caráter da peça. O rendimento que obteve dos atores, nesse ponto, foi excelente".1

O sucesso da montagem propicia a abertura de um bar, anexo ao TBC, onde os artistas fazem as refeições ou se encontram ao fim dos espetáculos, logo freqüentado pela alta sociedade da cidade, denominado exatamente Nick Bar. Na parede de fundo, um painel reproduz uma cena da peça e os cardápios, pintados a mão por Noemia Mourão, apresentam desenhos alusivos à montagem.

Notas

1. PRADO, Décio de Almeida. 'Nick Bar'. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 12 jun. 1949.

 

Ficha Técnica do evento Nick Bar... Álcool, Brinquedos, Ambições:

Fontes de pesquisa (3)

  • GUZIK, Alberto. TBC: crônica de um sonho. São Paulo: Perspectiva, 1986. 233 p.
  • PRADO, Décio de Almeida. O teatro brasileiro moderno. 2.ed. São Paulo: Perspectiva, 1996. 149 p. (Debates, 211).
  • DIONYSOS. Rio de Janeiro: Serviço Nacional de Teatro, n. 25, set. 1980. Número especial sobre o TBC.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • NICK Bar... Álcool, Brinquedos, Ambições. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/evento398268/nick-bar-alcool-brinquedos-ambicoes>. Acesso em: 13 de Dez. 2017. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7