Artigo da seção eventos À Margem da Vida

À Margem da Vida

Artigo da seção eventos
Teatro  
Data de inícioÀ Margem da Vida: 1947
Local de realização: (Brasil / São Paulo / São Paulo) | Instituição de realização: Theatro Municipal de São Paulo
espetaculo | a classificar

Histórico

Primeira encenação brasileira de À Margem da Vida (The Glass Menagerie), de Tennessee Williams, conduzida por Alfredo Mesquita (1907-1986) à frente do Grupo de Teatro Experimental, em 1947.

O jovem protagonista é vivido por Abílio Pereira de Almeida (1906-1977). A trama se passa na memória de Tom, que recorda o período que antecede sua decisão de deixar o emprego e se engajar na Marinha Mercante. O pai já havia abandonado a família, delegando ao jovem a responsabilidade de sustentar a mãe, que não se conforma com a vida mesquinha que levam e sonha ainda com os tempos em que fora cortejada por 17 pretendentes, e a irmã Laura, que tem um defeito na perna, é doentiamente tímida e se dedica integralmente à sua coleção de bichinhos de vidro, daí o título original, The Glass Menagerie. A mãe pressente que Tom vai deixá-las e pede que, ao menos ele arranje um marido para a irmã. O jantar oferecido pela família a um imaginado candidato a noivo redunda em fracasso: o rapaz já está de casamento marcado com outra. Restam, então as dívidas contraídas para compra do vestido de Laura, de um tapete e de um abajur novos. O pano de fundo do texto são as conseqüências de Depressão de 1929 sobre a classe média americana e o foco é a visão nostálgica de Tom, que abandonou a família para seguir sua vocação de poeta, mas lança retrospectivamente sobre ela um olhar compassivo e penetrante.

Reunindo-se na Livraria Jaraguá, de propriedade de Alfredo Mesquita, o Grupo de Teatro Experimental ensaia esta produção em alguns meses. No difícil papel de Laura está Nydia Licia (1926), cujo desempenho marca sua estréia no teatro. Nos demais papéis estão Marina Freire, como a mãe Amanda Wingfield, e Caio Cayubi, como o amigo de Tom. O programa da montagem traz o logotipo do Teatro Brasileiro de Comédia (TBC); tratava-se de uma das iniciativas para arrecadar fundos para a construção dessa casa de espetáculos. A segura e bem arquitetada direção de Alfredo Mesquita mostra-se ágil, dentro dos padrões de renovação buscados pelo grupo. Após a estréia, a produção percorre bairros de São Paulo e algumas cidades do interior do estado.

A cenografia é assinada por Clóvis Graciano (1907-1988): um gabinete quase todo de vidro envolto em painéis fotográficos que inserem a grande cidade na sala de estar da família Wingfield, de arrojada modernidade para o estilo da época. A montagem, posteriormente, é apresentada no TBC, em seu primeiro ano de atividades.

Sobre a atuação de Alfredo Mesquita, lembra o ator Carlos Vergueiro: "É impressionante como, trabalhando com um grupo bastante indisciplinado, sem conhecimento algum da arte teatral, Alfredo conseguia transmitir um estilo de representação, ritmo de falas e espetáculo, sempre à testa de tudo, desde a escolha de peças, 'leituras de mesa', marcações, tudo. Ia pessoalmente verificar a execução das roupas, ensaiava os rapazes e moças a andar, a sentar, a gesticular à moda antiga ou moderna, enfim era o 'faz-tudo' do GTE. Com Alfredo Mesquita, embora trabalhando com amadores, o Teatro Brasileiro ganhou dignidade".1

Notas

1. VERGUEIRO, Carlos. Depoimento de um ator do GTE. In: EAD 1948-68: catálogo comemorativo dos 20 anos da Escola de Arte Dramática. São Paulo: Governo do Estado de São Paulo: Fundação Anchieta, 1985. p. 18-20.

 

 

Ficha Técnica

Fontes de pesquisa (4)

  • LICIA, Nydia. Depoimento. In: DEPOIMENTOS IV. Rio de Janeiro: Serviço Nacional de Teatro, 1978.
  • MESQUITA, Alfredo. Depoimento. In: DEPOIMENTOS IV. Rio de Janeiro: Serviço Nacional de Teatro, 1977.
  • VERGUEIRO, Carlos. Depoimento de um ator do GTE. In: EAD-48-68, catálogo comemorativo dos 20 anos da Escola de Arte Dramática. São Paulo. Governo do Estado de São Paulo. Fundação Anchieta: 1985, p. 18-20.
  • MAGALDI, Sábato; VARGAS, Maria Thereza. Cem anos de teatro em São Paulo (1875-1974). São Paulo: Senac, 2000. 454 p.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • À Margem da Vida. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/evento395653/a-margem-da-vida>. Acesso em: 29 de Mar. 2017. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7